Transculturação E Poder Em Zoé Valdés E Marilene Felinto: O Pluralismo Na Construção Identitária Latino-Americana – Rose Mary Abrão Nascif

Transculturação E Poder Em Zoé Valdés E Marilene Felinto: O Pluralismo Na Construção Identitária Latino-Americana – Rose Mary Abrão Nascif
Acessar

Resumo:

Esta tese parte do pressuposto de que existe uma equivalência entre a condição subalterna da mulher e a do continente latino-americano, de modo que pretendemos avaliar em que medida as obras “La nada cotidiana” e “La hija del embajador”, da cubana Zoé Valdés, e “As mulheres de Tijucopapo”, “O lago encantado de Grongonzo” e “Obsceno abandono – amor e perda”, da brasileira Marilene Felinto constituem um microcosmo privilegiado onde se pode ler as artimanhas de um poder patriarcal (opressor da mulher) e de um poder metropolitano (opressor da periferia). Procuramos abordar as divergências e convergências entre as autoras, sob uma perspectiva transcultural – enquanto encontro de culturas centrais e periféricas movido pelo deslocamento geopolítico de intelectuais e artistas -, e sob o viés do poder – enquanto instrumento de repressão e de exclusão. Destacamos produções literárias hispano-americana e brasileira produzidas no pós-modernismo dos anos 80 e 90, quando grande parte da escritura feminina ainda permanece marginalizada pelos padrões canônicos. Também ressaltamos o processo de reconhecimento e de fragmentação desencadeado pela ruptura/resgate da memória, em que as protagonistas buscam tomar as rédeas de suas vidas ao contestar o status quo vigente e atuar enquanto sujeito ativo na conformação das identidades latino-americanas.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFF/LETRAS
  • Área de Conhecimento: LETRAS
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 886.05 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: