Tradução E Adaptação Transcultural Da Escala Motor Activity Log Para Avaliação Da Quantidade E Qualidade De Uso Do Membro Superior De Hemiplégicos – Viviane Amaral Saliba

Tradução E Adaptação Transcultural Da Escala Motor Activity Log Para Avaliação Da Quantidade E Qualidade De Uso Do Membro Superior De Hemiplégicos – Viviane Amaral Saliba
Acessar

Resumo:

A avaliação da função do membro superior (MS) mais afetado é clinicamente relevante em indivíduos após o Acidente Vascular Encefálico (AVE), devido à grande limitação funcional nas atividades manuais e instrumentais de vida diária. A funcionalidade do MS mais afetado tem sido avaliada através da observação do desempenho durante realização de testes executados dentro do laboratório/clínica. Entretanto, o uso do MS pode não corresponder ao que o individuo realmente realiza fora da situação de teste. No Brasil, faltam instrumentos específicos para avaliar o uso do MS mais afetado no ambiente de vida real. Nesse contexto, a Motor Activity Log (MAL) pode ser utilizada, pois é um instrumento padronizado e específico para avaliação do uso do MS mais afetado de hemiplégicos nas atividades de vida diária, através de duas escalas: quantitativa e qualitativa. Porém, para sua aplicação na população brasileira é necessária a tradução, adaptação transcultural e avaliação das propriedades psicométricas. Assim, o objetivo desse estudo foi traduzir e adaptar transculturalmente a MAL (versão com 30 itens) para o Português (Brasil) e avaliar suas propriedades psicométricas. A MAL foi traduzida e adaptada seguindo instruções padronizadas e submetida a exame de confiabilidade teste reteste através do coeficiente de correlação intra-classe (CCI). As propriedades psicométricas foram investigadas pela análise Rasch em 77 hemiplégicos crônicos com média de idade de 57,5±12,4 anos e tempo de AVE de 74,6±57,4 meses, de ambos os sexos e residentes na comunidade. Ambas as escalas obtiveram CCI de 0,98 para as pontuações totais. A análise Rasch indicou coeficientes de confiabilidade de 0,92 para os indivíduos nas duas escalas (sem indivíduos com escore mínimo) e 0,96 e 0,93 para os itens das escalas quantitativa e qualitativa, respectivamente, indicando estabilidade das medidas. O índice de separação dos indivíduos foi de 3,46 na escala quantitativa e 3,39 na escala qualitativa, divididos em cinco níveis de uso do MS mais afetado. Considerando os cinco indivíduos com pontuação mínima, o índice de separação das pessoas foi de 2,34 na escala quantitativa e 2,29 na escala qualitativa, indicando três níveis de separação; valores aceitáveis para índice de discriminação. O índice de separação dos itens foi de 4,76 na escala quantitativa e 3,74 na escala qualitativa, sendo divididos em aproximadamente sete níveis de dificuldade na escala quantitativa e em cinco níveis na escala qualitativa. Dos 30 itens, quatro não se enquadraram no modelo em cada escala, representando mais que 5,0% do total de itens, o que compromete a validade de construto. Apesar da MAL-Brasil mostrar potencial para ser clinicamente útil para avaliar o uso do MS mais afetado de indivíduos hemiplégicos crônico, juntamente com outros instrumentos padronizados, deve ser aplicada em outras amostras para que a validade seja mais amplamente investigada. Se persistir um número superior a 5,0% de itens erráticos, tornam-se necessárias modificações do instrumento, como adaptações ou exclusão de itens. Além disso, possui limitação para aplicação em indivíduos com baixo nível funcional do MS mais afetado.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMG/CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO
  • Área de Conhecimento: FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.50 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: