Trabalho, Reprodução Social E Educação Em Lukács – Marteana Ferreira De Lima

Trabalho, Reprodução Social E Educação Em Lukács – Marteana Ferreira De Lima
Acessar

Resumo:

Esta dissertação consiste numa análise ontológica da educação, buscando evidenciar sua essência e suas relações com a totalidade social, considerando a necessidade de uma contraposição à fetichização que a envolve e dissimula suas reais funções numa sociedade capitalista. O objetivo primordial é analisar o complexo da educação na Ontologia de Lukács, mais precisamente a partir do volume dois, cujos capítulos trazem a análise do filósofo húngaro acerca do Trabalho e da Reprodução. Procura-se apanhar o significado da educação em Lukács a partir de duas linhas de análise: a primeira, atrelada aos enunciados que explicitamente apresentam reflexões acerca da educação, a segunda, por sua vez, voltada à captura dos elementos implicitamente a ela vinculados e que auxiliam na sua compreensão. O caminho até a educação passou pela análise das categorias trabalho e reprodução em Lukács. A educação mantém com o trabalho uma relação de dependência ontológica e autonomia relativa. O caráter do trabalho de produzir além do necessário para a reprodução do seu produtor é a base para o desenvolvimento e a complexificação do ser social e da sociabilidade. Além de fundar o ser social, o trabalho também inaugura vários outros complexos sociais, como conseqüência do processo de complexificação constante. A reprodução social efetiva-se assumindo características cada vez mais sociais – mesmo considerando a base natural como algo ineliminável. A crescente complexificação dos complexos sociais tem nessa relação seu fundamento e sua base de realização. A sociabilidade, mesmo sendo formada pela objetivação de posições teleológicas singulares, é muito mais do que a sua mera associação, constitui uma totalidade social como momento predominante da reprodução do ser social. A educação é práxis social e realiza posições teleológicas secundárias, através das quais visa influenciar os homens para que realizem, por si, determinadas posições teleológicas. Em sentido amplo, a educação se assemelha ao complexo da linguagem pelo caráter universal e pela espontaneidade que rege seu desenvolvimento. A educação estabelece uma relação com a consciência e a linguagem, com a filo e a ontogênese, atuando no recuo dos limites naturais e atrelado ao processo que Lukács denomina “acabamento”, que possibilita a gênese das funções especificamente humanas. Em sentido restrito, se assemelha ao complexo do direito e surge como Conseqüência da complexificação do trabalho e da divisão de classes. Como é influenciada por interesses de classes, os grupos que a manipulam podem apresentá-la como um complexo que tem autonomia absoluta (embora a autonomia dos complexos sociais seja sempre relativa), como forma de fetichizar sua função e articulá-la com a reprodução do status quo.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UECE/EDUCAÇÃO
  • Área de Conhecimento: EDUCAÇÃO
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 507.46 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: