Trabalho E Bem-Estar Subjetivo: Compreendendo A Situação Laboral Dos Médicos – Gislene Farias De Oliveira

Trabalho E Bem-Estar Subjetivo: Compreendendo A Situação Laboral Dos Médicos – Gislene Farias De Oliveira
Acessar

Resumo:

Esta tese procurou conhecer em que medida as condições de trabalho dos médicos têm implicações no seu bem-estar subjetivo. Especificamente; pretendeu-se conhecer o nível de bem-estar e burnout vivenciado por médicos que exercem seu ofício em João Pessoa; contrastando com outras duas categorias profissionais (enfermeiros e psicólogos); e saber em que medida variáveis de contexto laboral (por exemplo; percepção das condições de trabalho; carga horário) poderiam afetar uma das dimensões principais do bem-estar subjetivo (a satisfação com a vida). Neste sentido; realizaram-se dois estudos. O Estudo 1 objetivou conhecer os parâmetros psicométricos das medidas de bem-estar subjetivo e burnout; e; em seguida; comparar médicos; enfermeiros e psicólogos nestes construtos. Participaram 246 profissionais; sendo 64 enfermeiros; 80 médicos e 96 psicólogos. Estes responderam um instrumento contendo sete partes: Escala de Afetos Positivos e Negativos; Escala de Vitalidade Subjetiva; Questionário de Saúde Geral; Escala de Satisfação com a Vida; Escala de Avaliação da Fadiga; Inventário de Burnout de Maslach e informações sócio-demográficas. Os resultados possibilitaram reunir evidências de validade fatorial e consistência interna destas medidas. Constatou-se que as três categorias de profissionais consideradas não se diferenciaram em termos de bem-estar subjetivo; e este não foi afetado pela idade ou sexo dos participantes. Contudo; pareceu evidente o prejuízo dos médicos no componente de despersonalização (burnout). O Estudo 2 considerou a satisfação com a vida; procurando conhecer em que medida esta seria influenciada por variáveis do contexto laboral dos médicos. Especificamente; pretendeu-se (1) conhecer os parâmetros psicométricos da Escala de Satisfação com a Vida; (2) avaliar se a satisfação com a vida destes profissionais se correlacionava com variáveis demográficas (por exemplo; local de residência; idade); (3) conhecer a correlação de aspectos do trabalho (por exemplo; rendimentos; carga horária de trabalho) com a satisfação com a vida; considerando diferentes setores de atuação dos médicos e (4) estimar em que medida a percepção da profissão se correlacionava com a satisfação que tais profissionais indicam ter com suas vidas. Participaram 2.751 médicos dos nove estados do Nordeste; sendo a maioria brasileira (99;2%); residente nas capitais (79;7%) e homem (66;7%); com idade média de 40 anos. Estes responderam a Escala de Satisfação com a Vida; e um questionário sobre caracterização dos participantes; mercado de trabalho; orientação e participação sociopolítica e atitudes frente à vida e valores humanos. Os resultados apoiaram a adequação da Escala de Satisfação com a Vida. Além disso; observaram-se correlações positivas da satisfação com a vida com o exercício profissional no consultório e setor filantrópico; as melhores condições de trabalho; o maior tempo dedicado à profissão e as horas dedicadas ao consultório; correlações inversas foram constatadas entre a satisfação com a vida e trabalhar longe da residência; ter atividades de plantão e dedicar mais horas a tais atividades. Finalmente; os médicos mais satisfeitos com suas vidas avaliaram como mais positivas as mudanças na sua profissão e apresentaram visão menos pessimista do futuro. Concluiu-se que os médicos apresentaram deterioro psicológico em razão do trabalho exercido; principalmente em relação ao burnout; e que sua satisfação com a vida pode se fundamentar em variáveis do seu contexto laboral. Sugeriram-se estudos que deveriam ser realizados no futuro; além de ressaltar a necessidade de programas que visem promover a saúde de profissionais responsáveis por assegurar a saúde da população.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPB/J.P./PSICOLOGIA (PSICOLOGIA SOCIAL) UFPB/J.P. – UFRN
  • Área de Conhecimento: PSICOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.36 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: