Toxoplasemose Ocular: Níveis De Iga Secretora Específica Na Lágrima De Pacientes Na Fase Ativa E Inativa Da Doença – Luiz Felipe Lynch De Moraes

Toxoplasemose Ocular: Níveis De Iga Secretora Específica Na Lágrima De Pacientes Na Fase Ativa E Inativa Da Doença – Luiz Felipe Lynch De Moraes
Acessar

Resumo:

A toxoplasmose ocular é provocada pelo Toxoplasma gondii que causa uveíte recorrente, cujo diagnóstico clínico pode se confundir com outras uveítes. Estudos mostram que há associação entre toxoplasmose ocular ativa e IgAs anti-T. gondii na lágrima. Objetivo: Comparar os níveis de IgAs anti-T. gondii da lágrima da fase aguda com a fase inativa de pacientes com uveíte toxoplásmica. Metodologia: Selecionaram-se 29 pacientes com uveíte toxoplásmica aguda que apresentavam níveis positivos de IgAs específica na lágrima para Toxoplasma gondii e foram acompanhados por período mínimo de dois anos. Após o acompanhamento a IgAs da lágrima anti-T. gondii dos pacientes foi medida e comparada com a fase aguda. Resultados: A IgAs específica para Toxoplasma gondii encontrou-se negativa em 22 pacientes (75,86%) e positiva em sete pacientes (24,13%), dos quais seis (85,7%) tinham tempo de acompanhamento de até três anos. A redução da média dos níveis da IgAs na fase aguda de 1,54 para 0,72 na fase de inatividade foi significativa (p=0,0001). Conclusão: A IgAs anti-T. gondii da lágrima encontra-se negativa em 75,86% pacientes após a fase aguda, podendo ser utilizada como marcador diagnóstico da toxoplasmose ocular ativa.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPE/MEDICINA TROPICAL
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1,012.75 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: