Toxicidade De Elementos-Traço Para Consumidores Primários Na Presença De Exopolissacarídeos Produzidos Por Organismos Fitoplanctônicos (Chlorophyceae E Cianophyceae) – Ádria Caloto De Oliveira

Toxicidade De Elementos-Traço Para Consumidores Primários Na Presença De Exopolissacarídeos Produzidos Por Organismos Fitoplanctônicos (Chlorophyceae E Cianophyceae) – Ádria Caloto De Oliveira
Acessar

Resumo:

O impacto causado pelo aumento da quantidade de substâncias químicas descartadas no meio ambiente está presente na maioria dos ecossistemas. Poluentes industriais contendo metais são frequentemente transportados para a água, o solo e o ar, podendo-se acumular nas cadeias tróficas e apresentar toxicidade para a biota. Em ambientes aquáticos, a biodisponibilidade e destino dessas substâncias xenobióticas podem ser influenciadas por vários fatores, entre eles a matéria orgânica dissolvida e outros compostos quelantes, os quais tem capacidade de aprisionar ou liberar íons para o ambiente. Os exopolissacarídeos, substâncias excretadas pelo fitoplâncton, podem interagir com diversas substâncias, interferindo na toxicidade dos compostos para os organismos ou comunidades biológicas aquáticas e, conseqüentemente, subestimando o verdadeiro valor tóxico das substâncias. Este trabalho foi conduzido para determinar a influência dos exopolissacarídeos da Clorofícea Pseudokirchniriella subcapitata, e da Cianofícea Anabaena spiroides na toxicidade dos elementos traço cádmio e cromo em Daphnia similis (Cladocera). Os metais foram escolhidos pela afinidade por quelantes orgânicos. Foram realizados testes ecotoxicológicos agudos para verificar a sensibilidade do cladócero Daphnia similis em diferentes concentrações dos metais cádmio (cloreto de cádmio) e cromo (dicromato de potássio), adicionando algas e exopolissacarídeos. Nos testes com os exopolissacarídeos foram utilizadas diferentes frações (excretado total, <10000D e >10000D). Para obtenção das frações de exopolissacarídeos foram realizadas filtrações tangenciais em cartucho oco de celulose com bomba peristáltica. Nos testes com a adição das algas foram usados números conhecidos de células obtidas do concentrado de algas. Observou-se redução da toxicidade de 20 a 30% nos testes com a adição de excretado total, e reduções menores para as frações < e > 10KD para as clorofícea e cianofícea. Com os resultados deste trabalho, foi possível avaliar a capacidade dessas substâncias em quelar e indisponibilizar compostos tóxicos e avaliar a toxicidade das substâncias quando testadas nos organismos planctônicos.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: USP/SC/CIÊNCIAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL
  • Área de Conhecimento: ECOLOGIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 2.44 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: