Tornar-Se, Ser E Viver Do Professorado: Entre Regularidades E Variações Identitárias – André Augusto Diniz Lira

Tornar-Se, Ser E Viver Do Professorado: Entre Regularidades E Variações Identitárias – André Augusto Diniz Lira
Acessar

Resumo:

O objetivo central desta pesquisa foi analisar a configuração identitária do professorado do ensino fundamental público; da região metropolitana de Natal – RN. Parte-se da hipótese que o “ser professor”; nesse contexto; constitui-se a partir das regularidades de um habitus específico; o qual; segundo Bourdieu; traduz-se em esquemas mentais de pensamento e ação de um determinado grupo social. Esse habitus é a base sobre a qual se constrói a representação social sobre o ser professor; predominante no grupo; e as distinções simbólicas que marcam as suas variações identitárias. Três fontes de dados foram fundamentais para a construção da tese: (a) memoriais de formação de alunas graduandas de um Curso Normal Superior e a observação direta de algumas das defesas públicas desses realizadas durante o trabalho de campo; (b) um questionário para caracterização econômica; social e cultural de uma amostra de professores da rede pública municipal de Natal – RN; e a (c) aplicação do Procedimento de Classificações Múltiplas (PCM) a uma sub-amostra desta população. A análise dos dados foi feita com o auxílio da estatística não-paramétrica e multidimensional; do método de Análise Categorial de Conteúdo e da Análise da Enunciação. Os resultados da análise tomaram em conta um amplo conjunto de variáveis; suas associações e implicações; o perfil social e cultural da população investigada; incluindo seu estilo de vida e gostos; as estratégias desenvolvidas pelos agentes no processo de tornar-se professor/a e a representação social do ser professor. Conclui-se que a identidade social do professorado; ou; como se prefere dizer aqui; o ser professor; é resultado de um conjunto de regularidades produzidas pelo habitus que dá forma social e sentido à existência do grupo. Constata-se a existência de variações identitárias que são provocadas pelas variáveis nível educacional e modalidade de atuação no ensino fundamental (se as primeiras ou últimas séries em que atuam os sujeitos). Todavia; essas variações não são capazes de quebrar a força das regularidades que dão forma; sentido e visibilidade social ao grupo. A representação social do ser professor indica as tensões; ambigüidades e tendências inerentes ao senso comum e aponta uma forte tendência para a ressignificação do ser professor. Defende-se; portanto; a tese que a configuração identitária do professorado investigado caracteriza-se por uma síntese integradora; produto de um habitus; que se sobrepõe e; ao mesmo tempo; coexiste com diferentes variações identitárias.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRN/EDUCAÇÃO
  • Área de Conhecimento: EDUCAÇÃO
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 1.67 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: