Sistemas De Preparo Do Solo, Culturas De Cobertura E Rotação De Culturas: Ciclagem De Nutrientes E Produtividade Milho E Soja No Cerrado – Camilo Placido Vieira

Sistemas De Preparo Do Solo, Culturas De Cobertura E Rotação De Culturas: Ciclagem De Nutrientes E Produtividade Milho E Soja No Cerrado – Camilo Placido Vieira
Acessar

Resumo:

Grande parte das áreas de produção do Brasil esta inserida no bioma Cerrado; onde se cultiva principalmente soja; milho; arroz e algodão. Este número limitado de espécies é cultivado utilizando sistema convencional de preparo do solo; com intenso uso de arados e grades. Neste sentido; desenvolveu-se o presente trabalho como o objetivo de avaliar em dois sistemas de preparo do solo (convencional ou direto) a viabilidade da rotação de culturas no verão (milho e soja) e utilização de culturas de cobertura na primavera para produção de palha e ciclagem de nutrientes; em região característica de clima de cerrado. Este trabalho esta sendo conduzido há dez anos na área experimental da FE/UNESP – Campus de Ilha Solteira; localizada no município de Selvira (MS). Por se tratar de um experimento de longa duração; optou-se por avaliar e analisar os dados obtidos na cultura da soja na safra de 2005/06. O delineamento experimental utilizado foi o em parcela subdividida em faixa. Existem duas áreas (terraços) onde estão alocados os sistemas de preparo do solo (convencional com arações e/ou gradagens pesadas + gradagens leves e sistema plantio direto). Dentro de cada terraço existem faixas com monocultivo de soja ou milho e faixas com soja rotacionada com milho e vice-versa. Em cada sistema de preparo e de cultivo; há presença de culturas de cobertura; com semeadura na primavera (crotalária; milheto; milheto + crotalária (2:1); crotalária + milheto (2:1)) e uma parcela foi mantida em pousio com presença de plantas daninhas. A soja e o milho forma semeados em dezembro de 2005; sendo utilizado a mesma adubação de semeadura para ambas culturas e a variedade BRS 133 de soja e o híbrido 20 A 20 de milho. O espaçamento utilizado foi de 0;45 e 0;90; respectivamente para a soja e milho. As avaliações constaram da produção de massa seca pelas culturas de cobertura e plantas daninhas na área em pousio; bem como o teor de macronutrientes presentes nesta; estado nutricional das plantas de milho e soja no florescimento pleno; características agronômicas e produtividade de grãos e retorno de palha com a colheita das culturas de soja e milho. Conclui-se que: o milheto é a cultura de cobertura com maior produção de palha e pode ser utilizado em consórcio com a crotalária; o milheto recicla maiores quantidades de K e Mg que a crotalária; e esta fixa grandes quantidades de nitrogênio e recicla maiores quantidades de Ca; o teor foliar de P é maior na área com vários anos de plantio direto; o sistema de cultivo não influenciou a produtividade de grãos do milho; a rotação de culturas é fator decisivo na produtividade de grãos de soja em área no sexto ano com plantio direto; o milho conduzido no sistema convencional de preparo do solo é mais produtivo que no sistema plantio direto; no sexto ano de experimentação; é necessário a utilização de culturas de cobertura (crotalária; milheto ou consórcio entre elas) para que adicionada a quantidade de palha retornada com a colheita do milho e principalmente soja; atinja às 10 t/ha necessárias para a continuidade do sistema plantio direto no cerrado.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/IS/AGRONOMIA
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 395.70 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: