Sistemas De Criação E Linhagens De Frangos De Corte: Desempenho, Rendimento, Qualidade De Carne E Perfil De Miosinas De Cadeia Pesada No Músculo Esquelético – Luciene Aparecida Madeira

Sistemas De Criação E Linhagens De Frangos De Corte: Desempenho, Rendimento, Qualidade De Carne E Perfil De Miosinas De Cadeia Pesada No Músculo Esquelético – Luciene Aparecida Madeira
Acessar

Resumo:

DESEMPENHO E RENDIMENTO DE CARCAÇA E DE PARTES DE LINHAGENS FRANGOS DE CORTE DE CRIADOS NOS SISTEMAS CONFINADO E SEMI-CONFINADO RESUMO – Considerando-se a crescente demanda do mercado consumidor pela avicultura alternativa e sua disposição em pagar um preço maior pelas características de qualidade atribuídas a seus produtos; objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho; o rendimento de carcaça e de partes de quatro linhagens de frangos de corte; criados nos sistemas confinado e semi-confinado. Foram utilizados 1440 pintos distribuídos em delineamento inteiramente casualisado com esquema fatorial 4×2; quatro linhagens (Ross 305; Máster Griss; Label Rouge e Vermelhão Pesado); dois sistemas de criação (confinamento e semi-confinamento); com quatro repetições por tratamento. Aos 84 dias de idade; foram abatidas quatro aves por boxe; totalizando 128 aves; para abate e avaliação do rendimento de carcaça e partes. Nas condições em que foi conduzido este trabalho; o acesso ao piquete não influencia o desempenho e as características de rendimento de carcaça das linhagens; exceto para o rendimento de gordura abdominal; em que as aves semi-confinadas apresentaram menor rendimento em relação as aves confinadas. Considerando apenas aves das linhagens tipo colonial; a Máster Griss e Vermelhão Pesado; mostraram melhores resultados de peso; sendo que a linhagem Label Rouge apresentou melhor conversão alimentar. Os frangos tipo colonial Máster Griss; Label Rouge e Vermelhão Pesado; quando comparados com a linhagem comercial Ross; apresentaram melhores resultados para o rendimento de partes; exceto para rendimento de peito e carne de peito; que a linhagem Ross obteve o melhor resultado. Pelas diferenças entre as linhagens coloniais estudadas quanto ao desempenho; rendimento de carcaça e das partes; conclui-se que é interessante escolher a linhagem de acordo com o interesse de cada mercado. QUALIDADE DA CARNE E TIPOS DE MIOSINAS DE CADEIA PESADA NO MÚSCULO ESTRIADO DE LINHAGENS DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS NOS SISTEMAS CONFINADO E SEMI-CONFINADO Resumo – Um fator atualmente relevante no estudo da qualidade da carne é o estudo da miosina; que é a proteína mais abundante no músculo; envolvida no crescimento muscular; desenvolvimento do animal; geração de força (contração muscular) e maciez da carne. Com este trabalho objetivou-se avaliar a qualidade de carne e aspectos morfológicos das fibras musculares esqueléticas e perfil de miosina de cadeia pesada do músculo flexor longo do hálux; de quatro linhagens de frangos de corte; criados nos sistemas confinado e semi-confinado. O delineamento foi conduzido em fatorial 4×2; quatro linhagens (Ross 308; Máster Gris; Label Rouge e Vermelhão Pesado); dois sistemas de criação (confinamento e semi-confinamento); com quatro repetições por tratamento. Aos 28 e 84 dias de idade; foram abatidas quatro aves por tratamento; totalizando 64 aves. A técnica eletroforética separou somente duas isoformas de miosinas; tipo MyHC-I e MyHC-II; no músculo flexor longo do hálux dos frangos de corte. Com aumento da idade; aumentou a isoforma da miosina de cadeia pesada MyHC II e diminuiu a MyHC I. A expressão das isoformas de miosina de cadeia pesada não foram influenciadas pela linhagem e sistema de criação. Não se encontrou influencia do sistema de criação para pH; cor do peito e da coxa e características físicas do peito. Em relação às características físicas do peito; a linhagem Ross foi superior; e entre as linhagens tipo caipira; a vermelhão Pesado é que se destacou. Aves da linhagem Ross apresentaram maior peso vivo; peso de perna; peso e área do músculo flexor longo do hálux; em comparação as do tipo caipira. O maior teor de luminosidade ocorreu com aumento do pH. Com a maior porcentagem de MyHC-II; ocorreu o aumento do teor de luminosidade (L*) e de amarelo (b*); já com MyHC-I; ocorreu o inverso.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/BOT/ZOOTECNIA
  • Área de Conhecimento: ZOOTECNIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 748.10 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: