Sistemas Biodegradáveis De Administração Intra-Ocular Contendo Ciclosporina (A) Para Tratamento Da Uveíte Posterior – Juliana Barbosa Saliba

Sistemas Biodegradáveis De Administração Intra-Ocular Contendo Ciclosporina (A) Para Tratamento Da Uveíte Posterior – Juliana Barbosa Saliba
Acessar

Resumo:

O tratamento da uveíte posterior é limitado uma vez que as formas convencionais de administração de fármacos falham ao disponibilizar doses terapêuticas no vítreo; retina e na coróide. Os implantes intra-oculares biodegradáveis são capazes de disponibilizar o fármaco diretamente na cavidade vítrea em doses terapêuticas e por um período prolongado. O copolímero ácido lático / ácido glicólico é um clássico exemplo entre os polímeros sintéticos biodegradáveis e bem aplicados em sistemas de liberação de fármacos devido à sua biocompatibilidade e ausência de toxicidade em testes in vivo. Neste estudo; dois diferentes implantes biodegradáveis a partir do copolímero ácido lático / ácido glicólico) (PLGA 75:25) e do imunossupressor Ciclosporina A (CsA) foram obtidos a partir de dois sistemas: mistura liofilizada e microesfera contendo CsA. O atual trabalho caracterizou; com sucesso; os sistemas por meio de quatro técnicas e esclereceu o perfil preliminar de liberação in vitro observado. Os resultados da validação da metodologia desenvolvida por CLAE mostrou-se adequada para quantificação de CsA e os implantes foram satisfatoriamente obtidos pelas duas técnicas propostas. A cristalinidade dos materiais foram analiadas por DRX que mostraram o estado amorfo para o copolímero e o estado semi-cristalino para a ciclosporina A. Além disso; a técnica mostrou que as amostras contendo polímero e o fármaco apresentam grande caráter amorfo. As curvas de TG provaram a estabilidade da amostra entre 100 e 120°C. O DSC e FTIR mostraram a ausência aparente de interações químicas e físicas entre o fármaco e o polímero. O estudo preliminar de liberação in vitro apresentou um perfil monofásico; onde a liberação do fármaco ocorreu principalmente pela difusão da CsA pela matriz polimérica intumescida. A diferente e maior liberação dos implantes obtidos pelas microesferas contendo CsA ocorreu provalvelmente à distinta distribuição do fármaco e ao aspecto morfológico heterogêneo quando comparado ao implante obtido pela mistura liofilizada; o qual apresentou menor porcentagem de liberação e uma matriz mais homogênea; aspectos morfológicos observados por SEM. Em resumo; os sistemas de liberação de fármacos aqui desenvolvidos e caracterizados podem ser empregados; futuramente; para o tratamento da uveíte posterior.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMG/CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS
  • Área de Conhecimento: FARMACOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 1.21 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: