Seleção E Caracterização De Estirpes De Bacillus Thuringiensis Tóxicas À Spodoptera Eridania (Cramer), Spodoptera Cosmioides (Walker) E Spodoptera Frugiperda (Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) – Karen Bianchi Dos Santos

Seleção E Caracterização De Estirpes De Bacillus Thuringiensis Tóxicas À Spodoptera Eridania (Cramer), Spodoptera Cosmioides (Walker) E Spodoptera Frugiperda (Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) – Karen Bianchi Dos Santos
Acessar

Resumo:

Entre as pragas de plantas cultivadas o complexo de espécies do gênero Spodoptera é uma das mais importantes. Spodoptera cosmioides e Spodoptera eridania têm sido relatadas como pragas de algodão (Gossypium hirsutum) e soja (Glycine max), enquanto que Spodoptera frugiperda de milho (Zea mays) e algodão. Este estudo teve por objetivo selecionar estirpes de Bacillus thuringiensis altamente patogênicas a S. cosmioides, S. eridania e diferentes populações de S. frugiperda, além de identificar proteínas Cry para o controle dessas espécies. O intuito deste trabalho também foi caracterizar, por métodos morfológicos e moleculares, estirpes de Bacillus thuringiensis que possam ser empregadas no controle biológico de S. cosmioides, S. eridania e S. frugiperda através de uma formulação. Cem estirpes que apresentaram toxicidade a insetos da ordem Lepidoptera foram avaliadas através de bioensaio seletivo quanto a patogenicidade a três espécies de Spodoptera Bioensaios de dose foram realizados com estirpes de B. thuringiensis que causaram mortalidade acima de 70% no bioensaio seletivo. Foi determinada a concentração letal (CL50) de estirpes de B. thuringiensis sobre S. eridania, S. cosmioides e populações de S. frugiperda dos estados da Bahia e Paraná. Após a caracterização molecular, as proteínas Cry, identificadas e comuns entre as estirpes, foram purificadas para a realização do bioensaio de dose contra as três espécies estudadas. As estirpes que demonstraram serem promissoras no controle das três especies de Spodoptera foram formuladas. Para os bioensaios de dose e avaliação dos formulados preliminares, as concentrações foram preparadas e inoculadas em dieta artificial. A avaliação da mortalidade das lagartas foi realizada no segundo e quinto dia após o inicio do bioensaio de dose e dos formulados. As estirpes S608, BR9, BR10, BR37 e BR45 proporcionaram alta mortalidade sobre S. eridania, S. cosmioides e S. frugiperda, tendo sido identificadas, através de PCR, os genes cry1Aa, cry1Ab, cry1Ac, cry1B e cry2; cry1Aa, cry1Ab, cry1Ac, cry1B, cry2; cry1Aa, cry1Ab, cry1Ac, cry1B, cry3; cry1Aa, cry1Ab, cry1Ad, cry1C, cry1D, cry1E, cry2 e cry1Aa, cry1Ab, cry1Ac, cry1B, cry3 no DNA das estirpes S608, BR9, BR10, BR37 e BR45 respectivamente. S. eridania e S. cosmioides foram mais susceptíveis a proteína Cry2A e Cry1Ab respectivamente, já S. frugiperda apresentou alta mortalidade às proteínas Cry1Aa e Cry1Ab. Com relação aos formulados, todos proporcionaram mortalidade de 100% na dose estudada. A identificação de estirpes de B. thuringiensis patogênicas oferece novas perspectivas de controle dessas três espécies de Spodoptera.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UEL/AGRONOMIA
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.40 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: