Enteroparasitoses Em Pacientes Atendidos Pelo Sus: Relação Entre Condições De Saneamento Básico E Incidência De Parasitoses Intestinais Na População De Santo Amaro Da Imperatriz, Santa Catarina – Mara Dagmar Prando Da Silveira

Enteroparasitoses Em Pacientes Atendidos Pelo Sus: Relação Entre Condições De Saneamento Básico E Incidência De Parasitoses Intestinais Na População De Santo Amaro Da Imperatriz, Santa Catarina – Mara Dagmar Prando Da Silveira
Acessar

Resumo:

Este trabalho teve como objetivo analisar a relação entre a incidência de enteroparasitoses em pacientes atendidos pelo SUS no Município de Santo Amaro da Imperatriz – SC e as condições de saneamento básico. Analisou-se 1433 resultados de exames parasitológicos nos anos de 2003 a 2005. Desses; 474 (33;08%) apresentaram contaminação por enteroparasitas; sendo que em 51 (10;76%) as pessoas não apresentaram água tratada em suas residências e 331 (69;83%) não apresentaram rede de esgoto. O percentual de indivíduos positivos para enteroparasitas sem disponibilidade de rede de esgoto e sem água tratada foi respectivamente 29;51% e 3;56%. Na Correlação de Pearson encontrou-se uma elevada correlação linear positiva e significativa (rp = 0;995); entre os indivíduos positivos com disponibilidade de água tratada e com disponibilidade de tratamento de esgoto. Quanto à distribuição dos enteroparasitas por idade a faixa etária; a de 0 a 12 anos foi a que apresentou maior número de indivíduos parasitados (78;56%). Houve uma maior prevalência de protozoários. Os parasitas mais freqüentes foram: Giardia lamblia (27;44%); Ascaris lumbricoides (14;38%); Enterobius vermicularis (12;81%); Entamoeba coli (12;28%); Endolimax nana (9;60%); Iodameba butschili (0;67%); Entamoeba histolytica/Entamoeba díspar (3;57%) e os helmintos Trichuris trichiura (3;57%); Strongyloides stercoralis (1;34%) e Ancilostomideos (0;89%). Também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com profissionais da área e verificou-se que a comunidade do município ainda não está consciente quanto à importância de se utilizar a rede de esgoto existente; não dando a devida importância quanto à utilização de agrotóxicos; apresentando também imprudência na eliminação de dejetos no rio Cubatão. Ao final os dados analisados mostraram uma relação direta entre a ausência de tratamento de esgoto e a incidência de doenças parasitárias.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFSC/FARMÁCIA
  • Área de Conhecimento: FARMÁCIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 1.06 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: