Do Ensino Especializado À Educação De Jovens E Adultos: Análise Das Trajetórias Escolares Na Perspectiva Dos Alunos, Familiares E Professores – Giorgia Caroline Tomaino

Do Ensino Especializado À Educação De Jovens E Adultos: Análise Das Trajetórias Escolares Na Perspectiva Dos Alunos, Familiares E Professores – Giorgia Caroline Tomaino
Acessar

Resumo:

A presente pesquisa adota como referencial teórico a perspectiva bioecológica de Bronfenbrenner. De acordo com o pressuposto, os contextos são salientados como importantes influências para o desenvolvimento humano no decorrer do ciclo vital, resultado da função conjunta das características da pessoa e dos processos proximais que se estabelecem nesses ambientes. Os objetivos da pesquisa foram constituídos das descrições das trajetórias escolares de alunos oriundos de ambientes institucionalizados e incluídos em escolas regulares, especificadamente em uma sala de aula do segmento da EJA e a elaboração de uma análise comparativa entre os dois ambientes destacados nas descrições, a partir das concepções dos alunos com deficiência e as perspectivas de seus familiares e professoras sobre o processo de inclusão escolar. Os participantes foram seis alunos com deficiência egressos de instituições e que estavam frequentando a EJA, seis familiares e quatro professoras sendo que duas ministram aulas de língua portuguesa na sala da EJA e duas são professoras da sala de recursos, especializadas em Educação Especial. Os instrumentos utilizados foram três roteiros de entrevistas semi estruturado. Os dados da pesquisa foram aglutinados em quatro categorias de análise: 1)Descrição do ambiente escolar 2) Aprendizagem 3) Relação família-escola 4) Processo de inclusão, todos subdivididos em tópicos temáticos que descrevem os dois contextos destacados. Os resultados obtidos revelaram que os alunos e seus familiares não reconheciam a terminologia “inclusão escolar” e tão sua aplicabilidade, os participantes estabelecem comparações estruturais entre um ambiente e outro, pois de acordo com os dados ficou perceptível que o ambiente das instituições de acordo com as relações estabelecidas e a rotina das atividades oferecia maiores oportunidades de socialização enquanto que as escolas regulares trabalham preferencialmente com a transmissão de conteúdos escolares não proporcionando espaços para as relações interpessoais, pois os modelos de organização e estrutura diferenciados não permitiam melhores oportunidades para estes alunos, uma vez que os conteúdos são fragmentados devido ao tempo limitado das aulas e ausência de oportunidades de adaptação ou mesmo de utilização de recursos especializados. A participação dos familiares no contexto escolar é descrito como importante e enriquecedor, no entanto, os familiares ainda esperam do contexto escolar as convocações, reuniões e esclarecimentos. A inclusão foi descrita de maneira positiva por aqueles que procuraram conhecer a sua idéia original, contudo apresentaram criticas sobre a estrutura da EJA, o distanciamento entre professor e aluno e as dificuldades de relacionamento entre os alunos, por conta da heterogeneidade da turma. Descrevem as instituições como promotoras da socialização, mas criticam as poucas possibilidades de trabalho relacionadas à aprendizagem As análises das trajetórias e as comparações estabelecidas entre os dois contextos sinalizaram a ausência de propostas pedagógicas e organizacionais para que se possam garantir não só o acesso, a permanência, mas também sucesso na aprendizagem do aluno com deficiência em um ambiente democrático e genuinamente inclusivo.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/EDUCAÇÃO ESCOLAR
  • Área de Conhecimento: EDUCAÇÃO
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 759.65 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: