Vias De Sinalização Intracelular Disparadas Pelo Fator De Ativação De Plaquetas (Paf) Em Tripanosomatídeos – Danielle Pereira Vieira

Vias De Sinalização Intracelular Disparadas Pelo Fator De Ativação De Plaquetas (Paf) Em Tripanosomatídeos – Danielle Pereira Vieira
Acessar

Resumo:

Tripanossomatídeos assemelham-se aos eucariontes superiores em vários aspectos, incluindo o fato de suas funções celulares serem mediadas por vias de sinalização envolvendo receptores de superfície, proteínas cinases e fosfatases, e mensageiros secundários, como o AMPc. O fator de ativação de plaquetas (PAF) é um potente fosfolipídio mediador de diversas funções celulares em vários processos biológicos e patofisiológicos, como diferenciação celular, inflamação e alergia. Em estudos anteriores foi demonstrado que o PAF estimula a diferenciação celular em H. m. muscarum e Trypanosoma cruzi. Também demonstramos que o PAF modula a infecção de macrófagos peritoneais de camundongos por Leishmania amazonensis. Recentemente, demostramos que PAF estimula uma cascata de transdução de sinais, levando à ativação de proteína cinase CK2, através de proteína cinase C (PKC) em H. m. muscarum. No presente estudo, demonstramos que o aumento da diferenciação celular em H. m. muscarum promovido pelo PAF e AMPc é mediado pela proteína cinase A (PKA). Os parasitos foram crescidos em períodos de 1 a 3 dias, na presença ou ausência das seguintes drogas: PAF (10-7 M) e/ou AMPc (10 μM) e/ou o inibidor de PKA, H89 (50 μM). No terceiro dia de incubação, os parasitos crescidos na presença destes moduladores apresentaram a seguinte porcentagem de formas diferenciadas: PAF (70%), AMPc (75%), H89 (42%), PAF + AMPc (80%), PAF + AMPc + H89 (43%), AMPc + H89 (38%), PAF + H89 (32%), em comparação aos parasitos controle, que apresentaram 40% de formas diferenciadas. Também descrevemos um aumento na atividade de PKA, quando as 7 células foram tratadas com PAF (10-7 M), AMPc (10 μM) e PAF (10-7 M) +AMPc (10 μM). Além disso, aqui apresentamos os efeitos do PAF na infecção de macrófagos peritoneais de camundongos por Leishmania chagasi. Os parasitos foram tratados por 4 horas com PAF 10-5 M e/ou com os seguintes inibidores: WEB 2086 (antagonista de receptor de PAF), BIS I (inibidor de PKC), TBB (inibidor de CK2), KT 5720 e H89 (inibidores de PKA). A infecção foi inibida quando os macrófagos ou ambos os parasitos e os macrófagos foram tratados com PAF, entretanto quando apenas os parasitos foram tratados com PAF, houve um aumento de 100% na infecção. O antagonista WEB 2086 e os outros inibidores foram capazes de reverter os efeitos promovidos pelo PAF. Este fosfolipídio também foi capaz de estimular a produção de óxido nítrico nos sistemas em que macrófagos ou ambos macrófagos e parasitos foram tratados, culminando na inibição da infecção.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRJ/CIÊNCIAS (MICROBIOLOGIA)
  • Área de Conhecimento: MICROBIOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 1.09 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: