Tramas Do Cotidiano: Religião, Política, Guerra E Negócios No Grão-Pará Do Setecentos – Um Estudo Sobre A Companhia De Jesus E A Política Pombalina – José Alves De Souza Junior

Tramas Do Cotidiano: Religião, Política, Guerra E Negócios No Grão-Pará Do Setecentos – Um Estudo Sobre A Companhia De Jesus E A Política Pombalina – José Alves De Souza Junior
Acessar

Resumo:

O presente trabalho pretende mergulhar nas “tramas do cotidiano” do Grão- Pará do setecentos, no sentido de tentar compreender as práticas engendradas por diversos atores sociais, índios, jesuítas, colonos, autoridades coloniais, negros, mestiços e homens brancos pobres antes e depois da intervenção pombalina no processo de colonização da Região Norte do Brasil português. Tais práticas envolviam religião, política, guerra, negócios, e se desenvolviam num contexto histórico marcado por uma acirrada disputa pelo controle da mão-de-obra indígena travada por missionários e colonos, que fazia com que a legislação indigenista oscilasse de acordo com os interesses em jogo e o poder de barganha na Metrópole dos contendores. A ascensão de Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal, à Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra marcou sensíveis mudanças na política colonial portuguesa na Amazônia, que entraram em rota de colisão com o plano salvacionista da Companhia de Jesus, resultando na sua expulsão de Portugal e de todos os seus domínios. A explicação de tal fato exigiu um mergulho no pensamento político jesuítico, para mostrar como ele ia de encontro às pretensões de D. José I de implementar um absolutismo de fato, laicizando o Estado português, e nas questões que envolveram os jesuítas e o governador do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, construtor e executor da nova política colonial. A expulsão dos jesuítas do Grão-Pará levou ao confisco dos seus bens, o que possibilitou, não só reconstituir o patrimônio por eles formado na capitania, mas, também, os usos e abusos de que foram alvos. Além disso, o trabalho busca penetrar no dia-a-dia dos aldeamentos, transformados em vilas e lugares pelo Diretório dos Índios, e como tal experiência foi vivenciada pelos diversos atores sociais neles presentes, e recuperar as origens da elite proprietária leiga do Grão-Pará, fortalecida pela expulsão dos jesuítas, assim como seus negócios, e seu fracionamento, a partir da conquista e ocupação de Caiena por tropas portuguesas saídas da capitania.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: PUC/SP/HISTÓRIA
  • Área de Conhecimento: HISTÓRIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 3.99 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: