Tradução E Validação Do Texas Revised Inventory Of Grief (Trig): Aplicação Em Pais Enlutados Pela Perda De Um Filho Por Câncer Pediátrico – Elizabeth Nunes De Barros

Tradução E Validação Do Texas Revised Inventory Of Grief (Trig): Aplicação Em Pais Enlutados Pela Perda De Um Filho Por Câncer Pediátrico – Elizabeth Nunes De Barros
Acessar

Resumo:

Sofrer a perda de uma pessoa significativa é um evento estressante que permanece para sempre na vida das pessoas. A perda de um filho é um acontecimento trágico e ilógico para os pais. Muitas variáveis individuais estão envolvidas e influenciando o processo da morte e do luto. A adaptação transcultural de um instrumento de medida de luto para o português torna-se um aspecto de grande relevância. Este estudo teve como objetivos: Traduzir e adaptar culturalmente o questionário Texas Revised Inventory of Grief (TRIG) para a língua portuguesa e validar o questionário TRIG na língua portuguesa. Foi realizado um estudo descritivo; de corte transversal. A casuística foi composta por pais cujos filhos com diagnóstico de câncer faleceram no período entre 2000 e 2002. Dentre 118 pais enlutados elegíveis para participar do estudo; nossa casuística foi composta de 15 participantes. O estudo foi desenvolvido em duas fases: 1. tradução e adaptação transcultural do Texas Revised Inventory of Grief (TRIG) para a língua portuguesa e; 2. estudo transversal para avaliação do questionário. Utilizou-se o IDATE-E para verificar a validade concorrente dos escores. O TRIG foi traduzido e revisado por um painel de juízes; verificando-se que os itens que compõem o instrumento original representam adequadamente as dimensões no contexto cultural brasileiro. Os coeficientes Alfa de Cronbach calculados para os oito itens da Parte I e para os treze da Parte II do TRIG adaptado; foram de 0;787 e 0;879 respectivamente; mostrando que a consistência interna foi boa para este estudo. Na validação discriminante; a comparação das médias das escalas da Parte III do TRIG e; também; em relação ao tipo de morte demonstrou que os familiares que referiram ser verdadeira a afirmação de que “fazem as coisas tão bem quanto antes da morte da pessoa”; apresentaram médias menores na Parte II do TRIG; com valores de 47;4 e 55;4 (p=0;040) e próximo à significância estatística na Parte I; com médias de 23;0 e 31;0 (p=0;072). A avaliação da validade concorrente demonstrou que não houve correlação estatisticamente significativa entre o IDATE-E e a Parte I do TRIG (r=0;15; p=0;615); ou entre o IDATE-E e a Parte II do TRIG (r=0;13; p=0;648). Também não se obteve correlação estatisticamente significativa entre a Parte I do TRIG e o tempo de morte (r= -0;13; p= 0;635) e entre a Parte II do TRIG e o tempo de morte (r= -0;03; p= 0;917). A tradução e a adaptação cultural do TRIG foram realizadas com sucesso e confirmou-se que o TRIG é um instrumento que foi capaz de discriminar os sentimentos e ações do enlutado nos momentos próximos ao falecimento e no momento presente. Este conhecimento é fundamental para compreendermos melhor os pais em situação de luto. Não somos capazes de impedir a morte ou trazermos a pessoa amada de volta; mas podemos ajudar as famílias a lutar para enfrentar os desafios adaptativos do processo de luto; na tentativa de reduzir riscos de morbidade física e psicológica; de fortalecer vínculos; de reestruturar percepções negativas; enfim de ajudar os pais a se ajustarem e a encontrarem um sentido para a vida e para a morte.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: FAP/ONCOLOGIA
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.11 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: