Tradução E Adaptação Transcultural Dos Protocolos De Avaliação Do Modelo Lúdico Para Crianças Com Paralisia Cerebral – Maria Madalena Moraes Sant`Anna

Tradução E Adaptação Transcultural Dos Protocolos De Avaliação Do Modelo Lúdico Para Crianças Com Paralisia Cerebral – Maria Madalena Moraes Sant`Anna
Acessar

Resumo:

Muito se tem discutido sobre a necessidade do embasamento científico dos procedimentos clínicos da Terapia Ocupacional. A utilização de protocolos de avaliação validados e adaptados para a cultura brasileira torna-se fundamental no processo de consolidação da profissão. Os protocolos de avaliação utilizados no Modèle Ludique foram desenvolvidos por Francine Ferland em 1994, sendo utilizados para crianças com paralisia cerebral no período pré-escolar. O objetivo desse estudo foi realizar a adaptação transcultural destes instrumentos e verificar as propriedades de medida da versão traduzida e adaptada em estudo-piloto. O instrumento Évaluation du Comportement Ludique abrange cinco áreas a serem avaliadas: interesse geral da criança, interesses lúdicos básicos, capacidades lúdicas básicas, atitude lúdica e expressão das necessidades e dos sentimentos. Cada área é composta de vários itens que são quantificados em escala que varia de 0 a 4. A Entrevue Initiale avec les Parents abrange nove áreas para serem avaliadas através de perguntas feitas sobre o comportamento lúdico da criança. Estes instrumentos foram traduzidos e adaptados seguindo uma metodologia rigorosa que incluiu a realização da tradução e da retrotradução, seguidas da avaliação de equivalência semântica, idiomática e conceitual. Esta versão foi administrada em amostra de 13 sujeitos com paralisia cerebral na faixa etária pré-escolar e seus respectivos pais ou responsáveis. Foi realizada análise qualitativa e estatística dos dados para conhecer a consistência interna dos itens avaliados. O índice de concordância de Person foi considerado significativo, tendo como resultado um p<0,05, assim como o teste Qui-Quadrado de Person, já o coeficiente de concordância de Kendall não foi considerado satisfatório. Este baixo índice pode estar relacionado com o número reduzido de sujeitos envolvidos na pesquisa e a qualidade do treinamento dos avaliadores. Os resultados obtidos no processo de tradução e retrotradução apontam que estes protocolos atendem as necessidades de obtenção de escalas de avaliação para crianças com paralisia cerebral, sugerindo a ampliação e o aprofundamento desta pesquisa para o processo de validação deste instrumento.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UPM/DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO
  • Área de Conhecimento: PSICOLOGIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2006
  • Tamanho: 1.74 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: