Tradução, Adaptação E Validação Da Breastfeeding Self-Efficacy Scale: Aplicação Em Gestantes – Mônica Oliveira Batista Oriá

Tradução, Adaptação E Validação Da Breastfeeding Self-Efficacy Scale: Aplicação Em Gestantes – Mônica Oliveira Batista Oriá
Acessar

Resumo:

O exercício da amamentação é extremamente relevante por proporcionar um contato íntimo da díade mãe-bebê e por fornecer ao recém-nato uma fonte hídrica; energética e protéica no início da vida. Este estudo teve como objetivos: traduzir e adaptar a Breastfeeding Self-Efficacy Scale (BSES); aplicar a Breastfeeding Self-Efficacy Scale – Versão Brasileira (BSES-VB); em gestantes; verificar a confiabilidade e a validade da BSES-VB para a detecção da auto-eficácia das mulheres e verificar a associação entre os escores da BSES-VB e as variáveis sociodemográficas e obstétricas. Obteve-se autorização para utilização da BSES a qual foi submetida ao processo de adaptação transcultural proposto por Beaton (1998); tendo sido submetida às análises psicométricas (confiabilidade e validade). Desenvolveu-se um estudo metodológico com abordagem quantitativa realizado em um centro de saúde de Fortaleza. A amostra foi composta por 117 gestantes que foram entrevistadas antes ou depois da sua consulta pré-natal. A coleta de dados ocorreu no período de julho a outubro de 2007; tendo sido utilizada além da BSES; um formulário com informações sociodemográficas e obstétricas. Após a adaptação; obteve-se uma escala com 33 itens; cujas dificuldades no seu entendimento resultaram na inserção de exemplos em 12 itens. Um comitê de especialistas avaliou o conteúdo da BSES-VB e a escala obteve um Índice de Validação de Conteúdo de 0;86. O alfa de Cronbach foi 0;88; indicando alta consistência interna; a qual foi ratificada pelo coeficiente de correlação intraclasse que variou de 0;83 a 0;90. A estabilidade da escala foi avaliada pelo coeficiente de Spearman-Brown que se mostrou elevado (0;80 e 0;91); indicando alta estabilidade da BSES-VB. A validade de construto realizada pela análise fatorial utilizando a análise dos componentes principais com rotação varimax sugeriu a retirada de alguns itens; contudo optou-se por mantê-los para posterior aplicação do instrumento em uma amostra mais representativa dessa população e outras que possuam características ainda não avaliadas. A validade de construto por meio da comparação dos grupos contrastados sugere que somente a experiência pode não ser relevante para que a mulher tenha maior auto-eficácia na amamentação; mas que essa experiência precisa ser satisfatória; gratificante para que a mulher tenha maior auto-eficácia na adoção desse comportamento. Concluiu-se; portanto que se obteve um instrumento confiável; válido e capaz de avaliar a percepção da mulher em relação à sua auto-eficácia para a prática da amamentação e recomenda-se que a BSES-VB seja aplicada tanto para pesquisa como na prática obstétrica; pois ela permite identificar os fatores relacionados à amamentação que requerem uma atenção direcionada e efetiva por parte do profissional que lida com a amamentação.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFC/ENFERMAGEM
  • Área de Conhecimento: ENFERMAGEM
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.28 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: