Tradição E Traição No Drama Histórico: Calabar Em Revista, No Teatro De Chico Buarque – Harlon Homem De Lacerda Sousa

Tradição E Traição No Drama Histórico: Calabar Em Revista, No Teatro De Chico Buarque – Harlon Homem De Lacerda Sousa
Acessar

Resumo:

Tradição e traição encontram; nesta pesquisa; um ponto comum: o drama histórico. Desde a Antigüidade Clássica o tema histórico é dramatizado. Essa temática assume importância significativa para a tradição dramática; na medida em que diversas formas do drama a têm utilizado. A dramaturgia sofreu muitas transformações; resultado de teorias e revoluções; ao longo dos séculos. Concepções; conceitos e categorias dramáticas; propostas por autores representativos da tradição ocidental; tais como Aristóteles; Hegel; Brecht; pensados em relação ao tema histórico; são aqui tomados como objeto de reflexão com o fim de se estabelecer um parâmetro teórico para a análise de Calabar: o elogio da traição. O drama histórico escrito por Chico Buarque e Ruy Guerra em 1973 reinterpreta a invasão holandesa ao nordeste brasileiro; ocorrida no século XVII; construída numa trama que é; a um só tempo; trágica; cômica; épica; revisteira. As personagens históricas; tais como Frei Manoel do Salvador; Maurício de Nassau; Mathias de Albuquerque; proferem diálogos e monólogos repletos de signos alegóricos que fazem as naus dos colonizadores europeus virarem tanques de guerra dos militares ocupantes do governo brasileiro durante a ditadura. A traição é apreendida sob perspectivas temáticas e formais. Tradição e traição compõem; assim; eixos de uma pesquisa voltada para a compreensão do drama histórico e de sua utilização no contexto do Brasil de chumbo.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPB/J.P./LETRAS
  • Área de Conhecimento: LETRAS
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1,010.09 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: