Toxidez Aguda Do Zinco Em Lambaris Astyanax Aff. Bimaculatus (Linnaeus, 1758) – Daiane Cristina Marques Dos Santos

Toxidez Aguda Do Zinco Em Lambaris Astyanax Aff. Bimaculatus (Linnaeus, 1758) – Daiane Cristina Marques Dos Santos
Acessar

Resumo:

O aumento da contamina��o dos ecossistemas aqu�ticos por metais tem causado diversas altera��es morfol�gicas; fisiol�gicas e bioqu�micas em organismos aqu�ticos. Neste contexto; com este trabalho prop�e-se estudar os efeitos da exposi��o aguda a diferentes concentra��es de zinco na histologia de br�nquias; f�gado e test�culo de indiv�duos adultos de lambaris (Astyanax aff. bimaculatus). Foram utilizados 72 machos de A. aff. bimaculatus adultos divididos em cinco grupos de tratamentos e um grupo controle; com 12 repeti��es. Os tratamentos foram cinco concentra��es de zinco: 3; 5; 10; 15 e 20 mg/L na �gua. A pesquisa foi desenvolvida no Departamento de Veterin�ria da Universidade Federal de Vi�osa; Vi�osa � MG; laborat�rio de Morfofisiologia de Peixes. Ap�s o tempo de exposi��o de 96 horas; os animais foram eutanasiados; pesados; medidos e retirado fragmentos de f�gado; m�sculo; osso; br�nquias e test�culo. Partes desses tecidos foram fixadas e inclu�das; seccionados em micr�tomo rotativo e coradas para confec��o de l�minas. O restante dos tecidos foi desidratado e digerido para quantifica��o da absor��o do zinco. Durante o per�odo experimental a �gua dos aqu�rios apresentou-se com caracter�sticas f�sico-qu�micas dentro dos limites considerados aceit�veis para a esp�cie; em oxig�nio dissolvido; pH; am�nia t�xica; condutividade el�trica; dureza total e temperatura. P�de-se estimar a CL50-96 horas na exposi��o aguda como sendo de 10 mg/L de zinco. O zinco mostrou-se altamente t�xico; em exposi��o aguda mesmo na concentra��o permitida pela legisla��o brasileira; que � de 5 mg/L na �gua para a cria��o de animais. As altera��es histopatol�gicas encontradas nas br�nquias foram hiperplasia; fus�o lamelar; aneurisma; destrui��o do epit�lio lamelar; ruptura de membrana; dele��o do epit�lio lamelar secund�rio; produ��o excessiva de muco sendo mais graves nos tratamentos expostos a maiores concentra��es de zinco. As br�nquias demonstraram ser um excelente indicador de contamina��o ambiental para Zn; por estarem em contato direto com a �gua e ser muito perme�vel para atender as trocas gasosas com o meio externo. As altera��es histopatol�gicas encontrados no f�gado foram congest�o vascular; diminui��o do volume celular; deslocamento de n�cleo do hepat�cito; necrose; desarranjo da estrutura cordonal; infiltrado leucocit�rio e vacuoliza��o; sendo mais graves nos tratamentos expostos �s maiores concentra��es de zinco. O aumento da concentra��o de zinco na �gua comprometeu as fun��es fisiol�gicas do f�gado. O aumento do n�mero de hepat�citos pode ser considerado um mecanismo compensat�rio para o restabelecimento da homeostase frente a poluentes ambientais. As principais altera��es evidenciadas nas g�nadas expostas ao zinco foram ruptura de cisto; retardo no desenvolvimento das c�lulas da linhagem germinativa; n�cleo picn�tico; aglomerado celular; descolamento da parede dos cistos; vacuoliza��o. O zinco comprometeu as fun��es reprodutivas da esp�cie em estudo; sendo mais graves nos tratamentos expostos a maiores concentra��es deste metal; em especial no retardo do desenvolvimento dos cistos; levando � redu��o na produ��o de espermatoz�ides; podendo comprometer a taxa de fecundidade e consequentemente na manuten��o dos estoques populacionais.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFV/BIOLOGIA ANIMAL
  • Área de Conhecimento: ZOOLOGIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 24.72 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: