Torta De Filtro E Turfa Na Mitigação De Solo Contaminado Por Metais Pesados E Boro E O Uso Do Nabo Forrageiro Como Fitoextratora – Ricardo Alexandre Brasil Jorge

Torta De Filtro E Turfa Na Mitigação De Solo Contaminado Por Metais Pesados E Boro E O Uso Do Nabo Forrageiro Como Fitoextratora – Ricardo Alexandre Brasil Jorge
Acessar

Resumo:

A disposição inadequada de resíduos com potencial poluente em locais impróprios representa sérios riscos ao ambiente e alerta a sociedade para os impactos ecológicos causados por essa prática. Dentre as várias formas de remover contaminantes de solos utilizando plantas; pode-se citar a fitoextração. Essa técnica pode ser aplicada exclusiva ou concomitantemente com outras práticas agrícolas; aumentando a eficiência de remoção do contaminante. Neste trabalho; foram avaliadas a torta de filtro e a turfa como mitigadores da contaminação do solo por metais pesados; boro e bário; bem como o nabo forrageiro como espécie fitoextratora. Os tratamentos foram constituídos por doses de torta de filtro e de turfa; tendo o nabo forrageiro como planta teste; cultivado em vasos com capacidade de 5 kg de solo. As doses de cada material; baseadas no teor de C; foram equivalentes a 0; 20; 40 e 80 t ha-1. Antes do plantio do nabo forrageiro; coletou-se; em cada parcela; uma amostra de solo que foi submetida à análise química para determinação dos teores totais e disponíveis dos elementos químicos. A colheita do nabo forrageiro ocorreu aos 65 dias; separando-se parte aérea (caule + folhas); vagem e raízes que; posteriormente; foram submetidas às análises químicas dos elementos. As plantas não apresentaram sintomas de toxicidade causados por bário; boro ou metais pesados; apesar dos altos teores destes encontrados no solo e na planta. Em relação aos teores totais no solo; a aplicação de torta de filtro aumentou; principalmente; o teor de P. Quanto aos teores disponíveis; a aplicação de torta de filtro e de turfa influenciaram a maioria dos elementos; exceto Pb; Cr e Mg. A aplicação da torta de filtro aumentou os teores de M.O.; P; K; Ca; B e Mn e diminuiu os teores de Cu; Fe e Cd; comparativamente à aplicação de turfa. Os tratamentos não influenciaram significativamente a produção de massa seca do caule + folhas (12;1 g vaso-1 ; para a torta; e 11;8 g vaso-1 ; para a turfa) e da vagem (5;4 g vaso-1 ; para a torta; e 5;6 g vaso-1 ; para a turfa). A maior produção de massa seca das raízes foi observada com a adição de torta de filtro (0;90 g vaso-1 ; para a torta; e 0;72 g vaso-1 ; para a turfa). Pelos índices de transferência; de translocação e de remoção; o nabo forrageiro foi viável somente para fitoextração de boro da área contaminada. De acordo com esses índices; seriam necessários aproximadamente 10;6 anos para descontaminar 50% do teor de B no solo. Concluiu-se que os materiais orgânicos adicionados não foram considerados mitigadores para o solo contaminado estudado; havendo somente uma pequena redução de tempo pela adição de torta de filtro para B; e que o nabo forrageiro tem potencial para ser cultivado na área multicontaminada.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: IAC/AGRICULTURA TROPICAL E SUBTROPICAL
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 3.95 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: