Toré: Uma Tradição Inventada Na Etnogênese Dos Kiriri – Derval Cardoso Gramacho

Toré: Uma Tradição Inventada Na Etnogênese Dos Kiriri – Derval Cardoso Gramacho
Acessar

Resumo:

Uma leitura do ritual do Toré na prática dos povos Kiriri (BA) sob a ótica da teoria da tradição inventada, proposta pelo pesquisador inglês Eric Hobsbawm (2008) é o tema desta dissertação. A teoria sustenta que muitas das tradições presentes no mundo contemporâneo na verdade se constituem em tradições inventadas, termo pelo qual se entende como um conjunto de práticas normalmente reguladas ou abertamente aceitas e que abarca, além das tradições propriamente inventadas, construídas e formalmente institucionalizadas, também aquelas cujo aparecimento se torna difícil de localizar em um período de tempo e que se estabeleceram nas sociedades com enorme rapidez. Este estudo igualmente busca identificar a importância deste mesmo ritual enquanto instrumento capaz de servir como definidor de uma identidade étnica. Detém-se na observação do modus vivendi dos Kiriri e busca reconstituir um pouco da história deste povo que alcançou o reconhecimento de sua indianidade nos anos de 1970 e somente em 1995 vem resgatar a posse de suas terras no município de Banzaê, no sertão baiano. O objetivo deste estudo é ver como a adoção do Toré como sinal diacrítico identitário dos povos indígenas do Nordeste, conforme instituído pelo Serviço de Proteção ao Índio (SPI), a partir de meados do século XX, mobilizou a comunidade dos Kiriri para adquirir e incluir o ritual e como sua práxis influenciou as transformações do cotidiano da vida da coletividade.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNEB/CULTURA, MEMÓRIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL
  • Área de Conhecimento: INTERDISCIPLINAR
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2010
  • Tamanho: 561.68 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: