Topoisomerase Ll-Alfa E Her-2 Em Tumores Malignos De Mama E De Ovário – Max Senna Mano

Topoisomerase Ll-Alfa E Her-2 Em Tumores Malignos De Mama E De Ovário – Max Senna Mano
Acessar

Resumo:

Introdução. O receptor epidérmico humano 2 (Her-2) e a topoisomerase-IIa (T2A) são dois marcadores biológicos importantes; ambos tendo um valor prognóstico e preditivo potencial em pacientes com tumores sólidos. A amplificação dos genes Her- 2 e T2A são eventos independentes; embora o último seja mais frequente em tumores com amplificação do Her-2 (34-90%); do que em tumores sem amplificação do Her-2 (5-10%). Existe uma melhor correlação entre amplificação e superexpressão do Her-2 no câncer de mama (CM) do que em outros tumores. No entanto; no CM; a correlação entre amplificação e superexpressão da T2A tem sido inconsistente; e existe uma carência de tais dados em outros tipos de tumores. A expressão da proteína T2A tem mostrado uma boa correlação com o índice de proliferação tumoral; particularmente no CM. Objetivos. Artigo 1: Sintetizar o conhecimento atual sobre a importância dos marcadores Her-2 e T2A nos tumores sólidos. Artigo 2: Investigar a prevalência de amplificação e superexpressão do Her-2 e da T2A; a correlação entre estas variáveis e a correlação entre as variáveis e estágio clínico; em amostras de câncer de ovário (CO) fixadas em parafina. Artigo 3: Investigar a prevalência de amplificação da T2A; assim como a correlação entre esta variável e a expressão da proteína T2A e do marcador de proliferação celular Ki-67; em amostras de CM fixadas em parafina; mostrando uma amplificação do Her-2. Métodos. Artigo 1: Os dados foram identificados através de busca em bases de dados eletrônicas (medline); livros de resumos de congressos e referências de artigos de revisão e originais. Artigo 2: 73 amostras de CO foram testadas para amplificação e superexpressão do Her-2 e T2A; por hibridização in situ fluorescente (FISH) e imuno-histoquímica (IHC); respectivamente. Artigo 3: 103 amostras de CM; com amplificação do Her-2; foram testadas para amplificação do gene T2A (por FISH) e superexpressão das proteínas T2A e Ki-67 (por IHC). Resultados. Artigo 2: Com base nos pontos de corte >1.5 e >2 (relação cópias/CEP17); as taxas de amplificação do Her-2 foram 15/64(23.4%) e 8/64(12.5%); versus 16/64(25%) e 5/64(7.8 %) para a T2A. Encontramos somente 3/72(4.2%) casos de superexpressão do Her-2(3+); contra 15/70(21.4%) para a T2A (marcagem em >10% das células). Foi observada uma modesta correlação entre amplificação e superexpressão da T2A (p= 0.01) e uma forte correlação entre amplificação da T2A e do Her-2; quando analisados como variáveis contínuas (p<0.001). A amplificação da T2A correlacionou-se com estágio FIGO avançado (p= 0.02). Artigo 3: Uma amplificação do gene T2A foi observada em 36.9%(38/103) dos casos. Os níveis de amplificação do Her-2 (número de cópias) não se correlacionaram com a amplificação da T2A. A porcentagem média de células positivas para a T2A (por IHC) foi de 5% e 10%; para casos T2A não-amplificados e amplificados; respectivamente. Uma correlação fraca; mas ainda significativa; foi observada entre amplificação do gene T2A e porcentagem de células T2A-positivas por IHC (Spearman=0.23; p=0.02); a correlação entre estas duas variáveis foi mais forte em tumores Ki-67 positivos. Conclusões. Artigo 2 : A avaliação da amplificação e da superexpressão do Her-2 e da T2A; por FISH e IHC; respectivamente; é realizável em amostras de CO. Foi observada uma boa correlação entre a amplificação dos genes Her-2 e T2A; mas a correlação entre amplificação do gene e superexpressão da proteína foi fraca para ambos marcadores. As taxas de amplificação dos genes Her-2 e T2A são mais elevadas quando não é realizada correção para o número de cópias do CEP17. Parece existir uma boa correlação entre amplificação da T2A e estágio clínico avançado. Estudos adicionais serão necessários para determinar o melhor ponto de corte para estes marcadores. Artigo 3: Contrariamente ao Her-2; a amplificação do gene T2A não parece necessariamente levar à superexpressão da proteína no CM. Outros fatores; como o índice de proliferação celular; podem interferir na síntese da proteína T2A. Embora a maioria dos casos de aberrações do gene T2A ocorram em tumores Her-2 positivos; os níveis de amplificação do Her-2 não se correlacionaram com a amplificação do gene T2A.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRGS/MEDICINA: CIÊNCIAS MÉDICAS
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2006
  • Tamanho: 835.01 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: