Tomada De Decisão Na Atenção Ao Paciente Muito Idoso Hospitalizado – José Mário Tupiná Machado

Tomada De Decisão Na Atenção Ao Paciente Muito Idoso Hospitalizado  – José Mário Tupiná Machado
Acessar

Resumo:

Introdução: À medida que aumenta a proporção de idosos no mundo; é crescente o número de pacientes muito idosos; sob regime de internação hospitalar. As peculiaridades deste grupo populacional ainda não são totalmente reconhecidas e valorizadas pelos médicos; em geral. Adequar o grau de agressividade diagnóstica e terapêutica à escala de valores destes pacientes; ponderando riscos; benefícios e desconfortos; exige critérios coerentes e representa um grande desafio para os médicos. Para que a tomada de decisão sobre os procedimentos aos quais estes pacientes submeterão seja adequada; deve-se motivar e valorizar o envolvimento deles e não permitir que o conhecimento técnico do médico; isoladamente; determine o que deve ou não ser feito durante sua permanência no hospital. O trabalho foi realizado no Hospital Universitário Cajuru da Pontifícia Universidade Católica do Paraná; em Curitiba; onde o número de internamento de pacientes com idade avançada vem aumentando nos últimos anos. Objetivos: 1. Identificar os modelos de registro sobre o nível cognitivo dos pacientes muito idosos hospitalizados; 2. Identificar o modelo da tomada de decisão utilizado por ocasião da adoção de procedimentos diagnósticos e terapêuticos; na atenção aos pacientes muito idosos hospitalizados; 3. Verificar a importância da participação dos pacientes muito idosos hospitalizados no processo de tomada de decisão; na perspectiva dos médicos; dos pacientes muitos idosos hospitalizados; de estudantes universitários e outros idosos. Método: Pesquisa qualitativa e quantitativa envolvendo levantamento de prontuários hospitalares e entrevistas com pacientes de ambos os sexos; com idade igual e superior a 85 anos; internados no Hospital Universitário Cajuru; médicos atuantes neste hospital; estudantes universitários da Pontifícia Universidade do Paraná e usuários com idade igual ou superior a 60 anos; da Associação de Portadores de Parkinsonismo do Paraná. Conclusão: 1. Raramente o estado cognitivo ou a capacidade de tomada de decisão por parte dos pacientes muito idosos hospitalizados foram avaliados; registradas; valorizadas e respeitadas; 2. Independente da capacidade cognitiva dos pacientes muito idosos internados; a decisão sobre a execução de procedimentos diagnósticos e terapêuticos foi tomada de acordo com opinião médica; 3. Todos os grupos entrevistados concordaram com a participação dos pacientes muitos idosos hospitalizados; cognitivamente bem; na tomada de decisão sobre a execução de exames diagnósticos e procedimentos terapêuticos. 4. Faz-se necessário difundir informações sobre o processo de envelhecimento; velhice; idade biológica e autonomia dos pacientes muito idosos hospitalizados.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: PUC/RS/GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2006
  • Tamanho: 515.90 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: