Tiras De Carga E Supercondutividade – Thiago Miranda Tunes

Tiras De Carga E Supercondutividade – Thiago Miranda Tunes
Acessar

Resumo:

Acredita-se que as tiras de carga (stripes) sejam um possível mecanismo que conduz à transição supercondutora nos cupratos. Neste trabalho consideramos o modelo de Hubbard repulsivo sobre uma rede quadrada, em que o hopping anisotrópico (i.e., ty = r tx; r < 1) favorece eletronicamente o movimento ao longo de uma direção. Uma análise de campo médio feita anteriormente para modelo encontrou para uma densidade eletrônica fixa, distante da banda semi-cheia, que a temperatura crítica supercondutora pode ser aumentada por até três ordens de grandeza; os raios de hopping considerados foram r = 0:1, 0.01 e 0.001. Através de simulação de Monte Carlo Quântico (QMC), investigamos diversas propriedades físicas do modelo, tais como o fator de estrutura magnético em q = (¼; ¼), o fator de estrutura para três diferentes estados de par ( s-wave, d-wave e extended s-wave ); examinamos também as propriedades de transporte, tais como o comportamento da condutividade (ao longo das direções x e y) e a densidade de estados no nível de Fermi. Como uma primeira aproximação para o problema temos considerado somente o caso da banda semi-cheia, desta maneira não há problema do sinal no QMC. Calculamos as quantidades acima para tamanhos de rede que variam de L = 18 até 16, realizadas de maneira confiável através da análise de escala de tamanho finito para extrair o comportamento da magnetização da sub-rede e o gap supercondutor (ambos no estado fundamental, através da escala de Huse) com anisotropia. Examinamos também o caso isotrópico, r = 1, para comparação. Encontramos que o estado fundamental antiferromagnético presente no caso isotrópico (r = 1) não é mais a ordem dominante paras as anisotropias aqui consideradas, r = 0:1, 0.01 e 0.001; o gap supercondutor a temperatura zero desaparece em todos os casos, semelhante para o caso isotrópico. Enquanto que para r = 1 a condutividade é isotrópica, como deveria; encontramos que o hopping anisotrópico diminui a condutividade na direção favorecida (x); a densidade de estados no nível de Fermi segue padrões semelhantes.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMT/FÍSICA
  • Área de Conhecimento: FÍSICA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.11 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: