Tipagem De Papilomavírus Humanos Em Amostras Cervicais De Pacientes Co-Infectados Pelo Vírus Da Imunodeficiência Humana – Fabiana Gil Melgaço

Tipagem De Papilomavírus Humanos Em Amostras Cervicais De Pacientes Co-Infectados Pelo Vírus Da Imunodeficiência Humana – Fabiana Gil Melgaço
Acessar

Resumo:

Papilomavírus humanos (HPV) que infectam a mucosa cervical são potenciais agentes de lesões pré-malignas e malignas. O vírus da imunodeficiência humana (HIV), por diminuir a imunidade do hospedeiro, é um dos co-fatores que facilitam o desenvolvimento destas lesões. Um dos objetivos deste trabalho foi estabelecer a técnica de polimorfismo dos fragmentos de restrição (RFLP) para detecção de genótipos de HPV em amostras cervicais de 140 pacientes infectadas por HIV atendidas no Serviço de Colposcopia do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), Rio de Janeiro, no período de 2003 a 2005. A detecção e a tipificação de HPV foi realizada pela técnica de reação em cadeia pela polimerase, utilizando-se os oligonucleotídeos iniciadores My09/11, associada à técnica de polimorfismo dos fragmentos de restrição (PCR-RFLP). Os produtos resultantes da amplificação por PCR, foram clivados por seis enzimas de restrição BamHI, DdeI, HaeIII, HinfI, PstI, RsaI. Os fragmentos gerados pela clivagem foram submetidos à eletroforese em gel de agarose 1,5%, corados com brometo de etídeo e visualizados sob luz U.V. Do total de 140 amostras, 83 (60,0%) foram positivas para o HPV. Vinte e quatro tipos diferentes de HPV foram detectados, com prevalência dos tipos de alto risco HPV 16 (16,4%), HPV 58 (7,5%) e HPV 53 (6,8%). A infecção por tipos oncogênicos de HPV apresentou uma associação significativa entre mulheres jovens (&#8804,30 anos) (p=0,02), de etnia branca (p=0,004), com maior número de parceiros sexuais (p=0,06), com mais de um filho (p=0,06) e cujo diagnóstico para HIV foi conhecido há menos de quatro anos (p=0,001). A infecção por tipos de baixo risco também foi associada a início da atividade sexual precoce (p=0,06). Genótipos oncogênicos ou não oncogênicos foram associados significativamente a alterações citológicas (p<0,001 e p=0,004, respectivamente). As pacientes que tinham contagem de células CD4 abaixo de 200/mm3 e 350/mm3 apresentaram maior probabilidade de desenvolver lesão cervical (p=0,009 e p=0,017, respectivamente) e de estarem infectadas por tipos de alto potencial oncogênico (p=0,025 e p=0,043, respectivamente). Concluímos que a implantação da técnica de PCR-RFLP permitiu a detecção de um grande número de genótipos distintos de HPV, como esperado em uma população HIV positiva. Considerando que nesta população, regularmente submetida a exames ginecológicos, foi encontrado um alto índice de lesões cervicais de alto grau, mas nenhum caso de câncer, ressaltamos a importância dos exames preventivos no controle desta doença.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFF/CIÊNCIAS MÉDICAS
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.73 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: