Timor-Leste E A Ocupação Indonésia: A Religião Como Operador De Resistência – Marcio Gagliato

Timor-Leste E A Ocupação Indonésia: A Religião Como Operador De Resistência – Marcio Gagliato
Acessar

Resumo:

Como um dos resultados das experiências vividas pelo autor no Timor-Leste; entre os anos de 2004 e 2005; este trabalho é fruto de seu interesse em identificar o significado psicossocial das modalidades de resistência figuradas em Timor-Leste durante o período de ocupação Indonésia. O objetivo desta pesquisa foi abordar; por meio da eleição de uma modalidade de figuração cultural – o cenário religioso – o Timor-Leste pós-independência; suas transformações sociais; as transformações culturais coletivas e singulares que se processaram nesse país atravessado pela ocupação indonésia. A escolha da religião se justifica; entre outros motivos; pela informação de que antes da ocupação indonésia; em 1975; menos de um terço da população timorense se declarava católica e; após o referendo de 1999; mais de 90% da população afirmaram pertencer à religião Católica. Procurando compreender o significado de tal figuração cultural; consideramos; entre outros autores; os estudos de Geertz (1978); Freud (1988); Magalhães (1983; 1990; 1999); Smythe (2004) e a partir; principalmente; de testemunhos do próprio autor deste trabalho e de outros sujeitos representativos; como Xanana Gusmão e Dom Basílio do Nascimento; pretendeu-se conhecer melhor a figuração da religião no Timor-Leste como operador de resistência. Observou-se que; diante do sistemático massacre físico e cultural empregado pelos ocupantes; uma nova configuração religiosa se constituiu em Timor-Leste como um poderoso e fundamental operador político; social e cultural de resistência. Evidenciou-se desta maneira; esse novo cenário religioso de maioria Católica que se constituiu; principalmente; em virtude do amparo; assistência e defesa que a população de Timor-Leste encontrou na Igreja Católica do Timor-Leste; não só no aspecto de resistência política; mas de resistência social; cultural e até religiosa; já que também a população; tornando-se Católica; encontrou na Igreja uma maneira de preservar a transmissão e herança da religiosidade tradicional-animista timorense. Esse amálgama religioso constituiu uma religiosidade de práticas tanto Católicas quanto Tradicional-animistas; constituindo; assim; um sincretismo de ritos e símbolos – sincretismo religioso. Foi relevante apontar que o apoio da Igreja Católica não foi unânime todo o tempo; mas que; muitas vezes; a Igreja Católica de Timor-Leste; Indonésia; Austrália; Portugal e do Vaticano exerciam posições divergentes em relação à ocupação. O resultado final dessa pesquisa mostrou a força da cultura timorense e a função da religião como operador de resistência por meio da relação político-cultural; logo; psicossocial…

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: PUC/SP/PSICOLOGIA (PSICOLOGIA SOCIAL)
  • Área de Conhecimento: PSICOLOGIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 487.53 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: