Testes De Repelência Com Nova Metodologia Em Aedes Aegypti Linnaeus, 1762 (Culicidae, Diptera) E Determinação Química Do Óleo Essencial De Trichilia Pallida (Meliaceae). – Ana Cristina Tissot

Testes De Repelência Com Nova Metodologia Em Aedes Aegypti Linnaeus, 1762 (Culicidae, Diptera) E Determinação Química Do Óleo Essencial De Trichilia Pallida (Meliaceae). – Ana Cristina Tissot
Acessar

Resumo:

Os produtos sintéticos utilizados para o controle de insetos podem causar diversos danos no ambiente como um todo; por isso estudos de plantas com propriedades inseticidas e repelentes reforçam a necessidade da utilização de recursos renováveis e rapidamente degradáveis. Com o objetivo de desenvolver um novo equipamento para teste de repelência em culicídeos utilizando uma nova metodologia de análise do comportamento de fêmeas de Aedes (Stegomyia) aegypti (Linnaeus; 1762) diante de produtos repelentes sintéticos e naturais; o presente estudo buscou realizar experimentos com o equipamento desenvolvido; observando seu desempenho em repelir ou atrair as fêmeas e sua eficácia em avaliar produtos repelentes sintéticos; bem como o potencial efeito repelente do óleo essencial da T. pallida; e o potencial efeito larvicida dos extratos aquoso; hexânico; diclorometano; metanólico e o hidrolato obtido durante a extração do óleo essencial da T. pallida. Os experimentos foram realizados na sala de criação sob condições controladas e monitoradas de temperatura e umidade relativa do ar. Os testes com o novo equipamento foram denominados de “método novo” em que as fêmeas tinham duas opções de escolha; mão com óleo ou mão controle; porém sem o contato direto com o hospedeiro. Primeiramente o método novo foi avaliado pelo seu desempenho através de produtos repelentes sintéticos denominados de A; B e C; realizados em 60 repetições com duração de 30 minutos cada um. O método novo foi comparado com o “método convencional” para analisar o potencial como repelente do óleo essencial da meliácea T. pallida. Foram utilizadas um total de 1.500 fêmeas de Ae. aegypti; em concentrações de 0;2%; 1%; 2%; 3% e 4% do óleo da planta diluído em etanol; em 90 repetições de 15 minutos. O efeito larvicida dos extratos da T. pallida foi testado em um total de 300 larvas de 3° ínstar; durante 24 horas em câmara climatizada (BOD). Os resultados obtidos evidenciaram que o equipamento adaptado para testar o efeito de substâncias sobre mosquitos; pode ser utilizado para avaliação de produtos que possuem como objetivo repelir fêmeas de Culicidae; pois os experimentos com repelentes sintéticos apresentaram resultado significativo; porém o óleo da T. pallida revelou discreto efeito repelente nas concentrações mais elevadas (3% e 4%). A metodologia utilizada é menos agressiva e mais ética não precisando expor o pesquisador ao desconforto das picadas dos mosquitos. Porém; deve-se levar em consideração as possíveis variações nos teores das substâncias ativas presentes no óleo da planta; que podem mostrar resultados contraditórios em diferentes experimentos. Os extratos não apresentaram resultados satisfatórios como larvicidas e necessitam de um refinamento para que seja possível avaliar se; realmente; a planta não tem efeito sobre as larvas de Ae. aegypti; bem como de outras espécies de culicídeos ou se existe uma concentração ideal para que os extratos sejam eficientes como inseticidas.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPR/CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (ENTOMOLOGIA)
  • Área de Conhecimento: BIOLOGIA GERAL
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 1.94 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: