Teste Do Soro Autólogo Na Urticária Crônica – Andréa Huguenim Silva Pires

Teste Do Soro Autólogo Na Urticária Crônica – Andréa Huguenim Silva Pires
Acessar

Resumo:

Estudo retrospectivo a partir da avaliação de prontuários de pacientes com urticária crônica, submetidos ao teste do soro autólogo, num período de 37 meses (junho de 2003 a junho de 2006). A associação entre urticária crônica e autoimunidade tem sido bem documentada. São encontrados autoanticorpos contra receptores de IgE ou contra IgE aderidas a basófilos e mastócitos cutâneos. A presença desses anticorpos pode ser avaliada in vivo através do teste cutâneo com soro autólogo, e in vitro por ensaios de liberação de histamina de basófilos. O teste do soro autólogo é recomendado como recurso válido nas urticárias idiopáticas, para detecção de tais anticorpos, apresentando cerca de 40% de positividade. Entretanto, quando se utiliza o teste do soro autólogo como rotina na investigação de todos os tipos de urticária crônica, observa-se que um número significativo de pacientes, mesmo aqueles com etiologia bem definida, também os apresenta. A urticária crônica pode ter múltiplos fatores etiológicos. É provável que, a autoimunidade atue concomitantemente a estímulos físicos e outras causas, diminuindo o limiar de degranulação de mastócitos. Isso poderia ocasionar doença de maior gravidade e menor resposta ao tratamento usual. Os objetivos do presente trabalho foram avaliar o perfil clínico de um grupo de pacientes com urticária crônica e positividade ao teste do soro autólogo, e a frequência da positividade no teste do soro autólogo em pacientes com urticária crônica de qualquer etiologia. Foram avaliados 175 pacientes com urticária crônica. A frequência de positividade ao teste do soro autólogo foi de 62,4% (111 pacientes), sendo 83 do sexo feminino e 28 do sexo masculino. A idade média de início da doença foi de 38,6 anos. Entre os pacientes com urticária idiopática, 50/72 (69,5%) apresentaram resultado positivo. Entre as urticárias físicas (dermografismo, pressão tardia, calor frio), 61/103 (59,3%) apresentavam positividade ao teste do soro autólogo. A frequência de positividade ao teste do soro autólogo foi elevada, tanto entre os pacientes com urticária crônica idiopática, sugerindo uma etiologia autoimune, quanto entre aqueles com a etiologia bem definida, tais como nas urticárias físicas.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRJ/CLÍNICA MÉDICA
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 596.21 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: