Território De Mata Cavalo: Identidades Em Movimento Na Educação Ambiental – Roberta Moraes Simione

Território De Mata Cavalo: Identidades Em Movimento Na Educação Ambiental – Roberta Moraes Simione
Acessar

Resumo:

Localizado no município de Nossa Senhora do Livramento; em Mato Grosso; o complexo Mata Cavalo é uma comunidade negra rural cujas terras foram adquiridas por doações ou compra pelos antigos ex-escravos no século XIX. Sendo a terra da antiga sesmaria fértil e rica em minério; por anos os quilombolas foram perseguidos; ameaçados; humilhados; presos e expulsos de suas casas e sítios por fazendeiros que chegavam na região. Sob este contexto; neste trabalho escolhi a identidade do grupo como tema de pesquisa; com o intuito de compreender os significados e sentidos que orientam o movimento de luta em favor do direito a um território ancestral. Para realizar tal tarefa; indago: O que é ser quilombola? A identidade quilombola é uma construção do presente? O movimento de luta dos negros quilombolas de Mata Cavalo gira em torno do espaço habitado e modificado ou da identidade construída; consolidada e contrária a um cenário político hegemônico e excludente? Tendo como suporte uma metodologia de cunho qualitativo; fiz um estudo histórico de cunho etnográfico e bibliográfico. Ao se considerar a origem e a história deste grupo; enfatizando a condição de possuírem um território compartilhado e uma identidade unificadora que se resume no sentimento de pertencimento do grupo à terra da sesmaria Boa Vida; nesta pesquisa procurei contribuir com a discussão em voga a respeito da identidade e reconhecimento das comunidades quilombolas; de modo que as mesmas ampliem sua luta para a permanência no território dos antepassados no bojo da Educação Ambiental. Valendo-se da tradição e da cultura; considero que os valores e as representações dos quilombolas não podem ser remetidos somente à ancestralidade e relegado ao passado; mas ao presente portando novas orientações e perspectivas desvinculadas de uma importância meramente alegórica alicerçada nos moldes da tradição. A identidade é expressão da própria luta pelo território quilombola; configurada numa reação contrária às formas de opressão que o grupo tem sofrido ao longo de todos estes anos; oferecido a preço alto pela sociedade excludente e hegemônica da qual fazemos parte. A luta; a terra; o território; o parentesco; a relação de compadrio expresso no muxirum; o linguajar; a forma de plantar; de colher; de se criar animais expressam aquilo que chamo de identidade quilombola; ao ver uma singularidade que busca igualdade nas relações socais e políticas no âmbito da diversidade.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMT/EDUCAÇÃO
  • Área de Conhecimento: EDUCAÇÃO
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 11.47 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: