Soroprevalência De Tristeza Parasitária Em Bezerros Na Região De Araguaína, Estado Do Tocantins, Brasil – Hébelys Ibiapina Da Trindade

Soroprevalência De Tristeza Parasitária Em Bezerros Na Região De Araguaína, Estado Do Tocantins, Brasil – Hébelys Ibiapina Da Trindade
Acessar

Resumo:

A tristeza parasitária bovina pode ser causada pelos agentes Anaplasma marginale; Babesia bovis e Babesia bigemina; ocasionando perdas econômicas significativas no rebanho. Devido à importância da enfermidade e a escassez de dados sobre a epidemiologia da tristeza parasitária bovina na região de Araguaína-Tocantins a pesquisa teve por objetivo determinar a soroprevalência de anticorpos anti-A. marginale; anti-B. bovis e anti-B. bigemina na referida região. Foram coletadas 506 amostras de sangue de bezerros com faixa etária compreendida entre oito e 24 meses; fêmeas e machos; obtendo-se 10 mL de sangue; assepticamente; por punção da veia coccígena; sendo centrifugado para separação do soro e armazenado a -20ºC até o momento da realização do teste sorológico. A determinação dos anticorpos anti-B. bovis; anti-B. bigemina e anti-A. marginale foi realizada por meio do ensaio imunoenzimático de adsorção indireto e como análise estatística utilizou-se o Qui-Quadrado (c 2) com correção de Yates; para distribuição da prevalência das enfermidades pela faixa etária não foi aplicada essa correção. Para verificação se o sexo era considerado fator de risco ou de proteção foi calculado a Odds ratio (OR). Todas as análises estatísticas foram realizadas utilizando o programa estatístico Graphpad Prism. 5 – Windows (2009); com intervalo de confiança de 95%. A infecção por B. bovis (OR=1;703) e por B. bigemina (OR=0;5689) não foi verificado influência do sexo; porém para a infecção por A. marginale (OR=2;040) o sexo funcionou como um fator de proteção para as fêmeas. As soroprevalências obtidas foram de 89;9%; 90;5% e 91;7%; para A. marginale; B. bigemina e B. bovis; respectivamente; caracterizando a região como de estabilidade enzoótica para as três espécies analisadas; oferecendo risco diante da introdução de animais suscetíveis procedentes de áreas livres ou de instabilidade.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFT/CIÊNCIA ANIMAL TROPICAL
  • Área de Conhecimento: MEDICINA VETERINÁRIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2010
  • Tamanho: 845.37 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: