Sono E Atividade Física Habitual Em Escolares – Marcelo Callegari Zanetti

Sono E Atividade Física Habitual Em Escolares – Marcelo Callegari Zanetti
Acessar

Resumo:

Atualmente, nossa sociedade vem sofrendo uma transformação sem precedentes, no qual, a população, de uma maneira geral, tem se deparado com inúmeros distúrbios, sejam eles, de ordem: social, psicológica e biológica. Esses distúrbios têm refletido em uma menor qualidade de vida e saúde de nossa população, bem como, aumento nos níveis de estresse, diminuição na qualidade de sono, entre outros. Por outro lado, o exercício físico, e a Educação Física escolar vem sendo apontados como importantes agentes promotores de saúde. Pensando nisso, procuramos investigar a influência destas atividades, sobre a estrutura do sono de 58 alunas do sexo feminino, com idades entre 11 e 12 anos (±11.47), da cidade de Limeira – SP. Para a coleta dos dados foram aplicados três questionários, no qual, o questionário 1, foi composto por perguntas relativas: à estrutura de sono; problemas de saúde; uso de medicamentos; relacionamento familiar e com amigos; hábitos pessoais; entre outros; o questionário 2 (PAQ-C), foi utilizado para medir o nível de atividade física regular e classificar as adolescentes em ativas e sedentárias; o questionário 3, foi estruturado e utilizado para verificar a percepção subjetiva de qualidade de sono. Posteriormente, aplicamos o teste Qui-quadrado para verificar se havia diferença entre as respostas apresentadas pelas alunas ativas e sedentárias para as questões referentes ao questionário 1, e a questão relativa à percepção subjetiva de qualidade de sono (questionário 3). Adicionalmente, empregamos a análise residual nas questões, onde foi encontrada diferença significativa. Este teste foi utilizado para verificar o comportamento das variáveis e categorias, bem como, determinar as variáveis que mais contribuíram para a diferença encontrada. O teste t para amostras independentes foi aplicado para verificar se havia diferença entre o horário de dormir e acordar, e as médias diárias de horas de sono (questionário 3); bem como, as médias diárias de horas em frente à TV (questionário 2). Para todas as análises paramétricas ou não-paramétricas, foi adotado um nível de significância de p<0.05. Os resultados demonstraram que a prática de exercícios físicos e a participação nas aulas de Educação Física escolar por si só, não promoveram importantes alterações na estrutura de sono. Porém, acreditamos haver necessidade de novos estudos, a fim de verificar a influência de fatores como a intensidade, a duração, e o tipo de exercício, bem como a interferência dos aspectos psicológicos e sociais sobre a estrutura do sono, já que nosso estudo, não nos permitiu tal análise.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/CIÊNCIAS DA MOTRICIDADE
  • Área de Conhecimento: SAÚDE COLETIVA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 754.11 KB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: