Solos Urbanos Residenciais Do Bairro Jardim Paulista, Campina Grande Do Sul (Pr) – Jaime Barros Dos Santos Junior

Solos Urbanos Residenciais Do Bairro Jardim Paulista, Campina Grande Do Sul (Pr) – Jaime Barros Dos Santos Junior
Acessar

Resumo:

Cada vez mais se percebe a fragilidade ambiental das áreas urbanas e sua vulnerabilidade às ações antrópicas. O uso inadequado do recurso solo no meio urbano tornou-se uma constante; sendo resultado do crescimento acelerado e desorganizado de algumas localidades. Ao longo dos anos a população alterou os solos drasticamente. Dessa forma o trabalho apresentado se propôs caracterizar e classificar os solos urbanos residenciais do bairro Jardim Paulista em Campina Grande do Sul (PR). Realizou-se uma amostragem por quadra; totalizando 105 pontos em três áreas distintas denominadas P-01; P-02 e P-03. Para se ter um registro das alterações que ocorreram em cada solo amostrado; considerando o ambiente urbano; foi anotado o relato do morador de cada ponto de amostragem; quando possível; caracterizando as alterações que o solo sofreu ao longo do tempo. Em laboratório se determinou a granulometria da fração terra fina (areia; silte e argila) do material amostrado; a densidade do solo; a densidade das partículas; a porosidade total e o pH do solo em CaCl2 (0;01 mol.L-1). As modificações ocorridas nos solos do Jardim Paulista são: Adição de solos não originários do local; Mistura e/ou inversão de horizontes e Adição de materiais diversos. O estado físico do solo foi verificado analisando Ds; Dp e Pt em alguns pontos das três áreas de estudo (P-01; P-02 e P-03). Os valores de pH em CaCl2 variaram bastante em P-01 e P-03 pela introdução de materiais diversos no solo e em alguns pontos se mostrou elevado em relação a solos naturais. Essa variação não ocorreu em P-03; pois a maioria dos pontos se caracterizou pela decapitação do solo e exposição do horizonte subsuperficial; sendo os valores de pH semelhantes aos dos solos naturais. Nas áreas P-01 e P-02 a grande variação dos valores de areia; silte e argila se deu em função da deposição de materiais diversos nos solos; o que não ocorreu em P-03 pelo mesmo motivo exposto em relação ao pH. Com os dados levantados em campo e resultados do laboratório; os solos foram enquadrados na proposta de classificação dos Antropossolos (CURCIO; LIMA; GIAROLA; 2004). As classes de solos encontradas na região do Jardim Paulista; conforme proposta de classificação dos Antropossolos; foram: ANTROPOSSOLOS SÔMICOS Camádicos áqüicos; ANTROPOSSOLOS SÔMICOS Camádicos; ANTROPOSSOLOS SÔMICOS Mésclicos; ANTROPOSSOLOS SÔMICOS Mésclicos áqüicos; ANTROPOSSOLOS DECAPÍTICOS Parciálicos; ANTROPOSSOLOS MOBÍLICOS Mésclicos e ANTROPOSSOLOS MOBÍLICOS Inêqüicos. A proposta de classificação para os solos antrópicos se mostrou eficiente; considerando que a maioria dos pontos analisados puderam ser enquadrados nas classes dos Antropossolos. A seção de controle para observações não atingiu a profundidade de 2 m como sugere os autores da proposta; mas foi compensada pela coleta de informações dos moradores.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPR/CIÊNCIAS DO SOLO
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 1.16 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: