Solo Do Rio Grande Do Sul E Sua Relação Com O Clima – Elsbeth Léia Spode Becker

Solo Do Rio Grande Do Sul E Sua Relação Com O Clima – Elsbeth Léia Spode Becker
Acessar

Resumo:

A formação do solo decorre do intemperismo das rochas. Os elementos climáticos; precipitação pluvial e temperatura; determinam a natureza e a velocidade das reações químicas nas rochas e definem a pedogênese. A relação entre solo e clima têm sido; ao longo do tempo; a base do mapeamento dos solos e da vegetação em escala global. Essa relação pode ser estudada por meio de modelos edafoclimáticos e de intemperismo. Assim; os objetivos nesta tese foram: (i) determinar a influência das disponibilidades climáticas no tipo de intemperismo e na formação dos solos do Rio Grande do Sul; (ii) determinar a relação entre solo e clima no Estado do Rio Grande do Sul por meio da utilização de modelos edafoclimáticos; e (iii) relacionar as condições climáticas atuais do Rio Grande do Sul com os grupos de solos. Para atingir os objetivos; foram utilizados três modelos matemáticos a fim de determinar as características do intemperismo. No cálculo; e representação gráfica dos modelos; utilizaram-se as médias anuais de temperatura e de precipitação pluvial de 41 estações meteorológicas pertencentes ao 8º Distrito de Meteorologia (8º DISME); período 1931-1960. Constatou-se que os solos do Estado são submetidos a condições de zonas temperadas quentes; que favorecem o intemperismo químico e as condições de alteração e de lixiviação típicas da zona de monossialitização. A relação dos solos do Rio Grande do Sul com as disponibilidades climáticas regionais foram estudadas por meio de modelos edafoclimáticos. De acordo com esses modelos; o Estado do Rio Grande do Sul é uma região com características de solos com perfis profundos e bem desenvolvidos que podem condicionar uma vegetação natural do tipo bosque. Assim; apenas uma parte da área do Rio Grande do Sul é explicada em função das disponibilidades climáticas vigentes; especialmente aquelas que são mapeadas como sendo de Latossolos; Chernossolos; Argissolos e de Nitossolos e Argissolos; predominantemente localizados no Planalto Norte-rio-grandense e na Depressão Central; respectivamente. As condições climáticas atuais do Rio Grande do Sul determinam o tipo de intemperismo e os grupos de solos zonais em Lateríticos e Pedalférricos; porém a relação entre o clima e a diversidade dos tipos de solos existentes no Estado não pode ser explicada unicamente por meio das disponibilidades climáticas.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFSM/AGRONOMIA
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.18 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: