Sociopoetizando A Construção Das Ações De Autocuidado No Envelhecimento Saudável: Uma Aplicação Da Teoria De Nola Pender – Aila Cristina Dos Santos Alves

Sociopoetizando A Construção Das Ações De Autocuidado No Envelhecimento Saudável: Uma Aplicação Da Teoria De Nola Pender – Aila Cristina Dos Santos Alves
Acessar

Resumo:

O envelhecimento populacional no Brasil sobreleva a necessidade de organização de serviços de saúde; sendo a estimulação do autocuidado uma estratégia privilegiada para orientar programas de promoção da saúde para pessoas idosas. Face à busca das mais variadas formas de viver bem; abrem-se fronteiras possibilitando o surgimento de modelos de envelhecimento saudável. Partindo do pressuposto de que as pessoas possuem uma dimensão imaginativa no “acrescentar qualidade aos anos de vida”; delimitou-se como objeto de estudo o imaginário de um grupo da terceira idade na construção das ações de autocuidado. Objetivos: descrever a poética sobre as ações de autocuidado construídas por um grupo de pessoas idosas; e analisar os significados (conceitos/confetos) atribuídos por essas pessoas ao envelhecer. Utilizou-se como marco referencial a Teoria de Promoção da Saúde de Nola Pender. Trata-se de pesquisa descritiva; qualitativa; considerando o paradigma naturalista. Foi aplicado o método sociopoético por meio do dispositivo analítico Grupo Pesquisador; composto por 11 idosos participantes da Unati da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; que desenvolveram a investigação no período de outubro a dezembro de 2008; mediante as técnicas de pesquisa: Dinâmica de Corpo como Território Mínimo e a Vivência de Lugares Geomíticos. Foram questões norteadoras do estudo; respectivamente: Como vocês se cuidam para o caminho do bom envelhecer? E Como é o autocuidado para o envelhecer saudável se ele for um lugar geomítico?. Os dados produzidos foram submetidos à análise categorial; dos estudos sociopoéticos. No estudo filosófico; observou-se haver coexistência da autoimagem realista revelando que os idosos estão mais aptos aos desafios da vida; pois seu comportamento é coerente com a ideia que faz de si; além de intenções; aspirações e tendências. O classificatório ressaltou as dicotomias das ações de autocuidado tendo: O Autocuidado através dos Limites e Possibilidades; e Transcender para Experienciar o Dom do Envelhecer; O transversal revelou O Autocuidado como Reconhecimento das Necessidades de Saúde; enquanto no surreal sobrelevam-se Aceitar o Novo para um Renascer Saudável; Perseverança para Conviver com o Envelhecimento; e Procurar Assistência pode Desvelar Temores para a Finitude do Viver. Conclui-se que a compreensão do imaginário dos sujeitos de pesquisa mediada pela teoria de Pender permitiu identificar fatores que influenciam e motivam o autocuidado para comportamentos saudáveis. Assim; o grupo vislumbra para seu futuro uma imagem de envelhecer mais dinâmica; adotando para si próprio um viver mais autônomo; ativo e bem-sucedido. À contribuição do estudo; propõe-se aos enfermeiros a apropriação de conceitos teóricos como forma de traduzir a realidade e demonstrar alternativas viáveis de ações de cuidado/saúde; bem como a utilização das práticas de dinâmicas de criatividade e sensibilidade nas atividades assistenciais.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UERJ/ENFERMAGEM
  • Área de Conhecimento: ENFERMAGEM
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2010
  • Tamanho: 4.35 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: