Situação Vacinal E Exposição A Material Biológico: O Papel Das Instituições De Ensino Superior Na Formação De Graduandos Na Área De Saúde No Estado De Goiás – Silvana De Lima Vieira Dos Santos

Situação Vacinal E Exposição A Material Biológico: O Papel Das Instituições De Ensino Superior Na Formação De Graduandos Na Área De Saúde No Estado De Goiás – Silvana De Lima Vieira Dos Santos
Acessar

Resumo:

Estudo descritivo; realizado em Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado de Goiás. Fizeram parte do estudo graduandos do último ano/semestre dos cursos da área de saúde. Objetivou caracterizar a exposição a material biológico entre os graduandos de cursos da área de saúde; no Estado de Goiás; Identificar o perfil vacinal destes graduandos; caracterizar a atuação das IES na orientação do graduando quanto à vacinação; às doenças imunopreveníveis de importância para os profissionais da área de saúde (PAS); e verificar nos graduandos vacinados contra hepatite B; a realização e a resposta do exame anti-Hbs. Realizamos o teste piloto e com auxílio do software Epi-info; versão 2004; calculamos um n=651; o que corresponde a 54;0 % da população; com intervalo de confiabilidade de 95%. Foram observados os aspectos ético-legais da pesquisa. Os dados foram obtidos por meio de questionário; que foi validado por três juízes. A aplicação do instrumento foi em sala de aula. O banco de dados foi estruturado e processado no programa Epi-info; versão 2004; e os dados apresentados em figuras e tabelas e analisados por meio de estatística descritiva. Participaram do estudo 777 (68;5%) dos graduandos matriculados no último ano; em 2005. Idade entre 20 e 55 anos; média de 34;7 anos; moda 23 anos e 83;6% entre 20 a 30 anos. O sexo feminino é o predominante com 73;8%. Já haviam sido expostos a material biológico 25;4% dos graduandos; quanto ao tipo de acidente 64;2% afirmaram terem se acidentado tanto com perfurocortantes quanto com exposição de pele e mucosas. Dentre os que se envolveram em acidentes somente 35;2% os notificaram. Os graduandos apresentaram maior adesão às vacinas anti-hepatite B que foi referida por 84;9% e apenas 34;0% realizaram o teste anti-HBs; destes 73;0% referiram ser respondedores e 10;0% não sabiam. Houve também adesão às vacinas anti-difteria e tétano por 46;8% e anti-amarílica por 25;8% dos graduandos. Afirmaram terem sido orientados sobre imunização 92;0% dos estudantes. Reconhecem como vacinas recomendadas aos PAS: a anti- hepatite B em 94;8%; a anti-difteria e tétano em 77;3% e anti-amarílica em 48;3% das citações. As fontes de informação aos graduandos sobre as vacinas recomendadas aos PAS; foram: disciplina curricular com 32;3%; seguida pela direção da faculdade com 13;6% das citações. Embora as IES no Estado de Goiás estejam abordando esta temática; a fazem de forma fragmentada e pouco consistente. Consideramos imprescindível que; as IES estabeleçam com urgência uma política de instituição das vacinas; antecedendo a prática clínica e repensem o ensino sobre a prevenção e controle de infecção; visando a interdisciplinaridade e principalmente a qualidade do ensino; o que refletirá no perfil dos profissionais da área de saúde.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFG/ENFERMAGEM
  • Área de Conhecimento: ENFERMAGEM
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2005
  • Tamanho: 1.31 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: