Sistemática E Análise Cladística Das Espécies Do Gênero Gyropus Nitzsch (Phthiraptera, Amblycera, Gyropidae) – Michel Paiva Salim

Sistemática E Análise Cladística Das Espécies Do Gênero Gyropus Nitzsch (Phthiraptera, Amblycera, Gyropidae) – Michel Paiva Salim
Acessar

Resumo:

Este trabalho avalia as relações de parentesco entre as espécies e status taxonômico do gênero Gyropus Nitzsch; 1818 (Amblycera: Gyropidae). Todas as espécies desse gênero possuem distribuição neotropical; ocorrendo da Nicarágua ao extremo sul da Argentina. Historicamente a sua classificação é um tanto conturbada; visto que há propostas para separação em diferentes gêneros que foram sumariamente rejeitados baseados em opiniões subjetivas. A primeira parte deste trabalho é um catálogo taxonômico completo; preparado para embasar a revisão de literatura sobre o assunto. Através de revisão taxonômica; buscou-se reconhecer os táxons pertencentes a esse gênero e avaliar as possíveis variabilidades intraespecíficas. A revisão teve ênfase na localização do material tipo e espécimes adicionais para todas as espécies. A partir da obtenção de material adicional; alguns estágios de desenvolvimento (ovos e ninfas I; II e III) de algumas espécies puderam ser pela primeira vez conhecidos; como: NI-NIII de G. cruzi; G. distinctus; G. longus; G. martini iheringi; G. lenti lenti; G. ovalis e G. persetosus; NII-NIII de G. setifer; G. lineatus e G. limai; ovos de G. lenti lenti e G. limai. Dados morfométricos foram incluídos nas descrições dos imaturos e a partir deles; índices de crescimento (índice de Brooks-Dyar e Crosby) foram pela primeira vez calculados para espécies de Gyropidae. Com o estudo desses imaturos; as ninfas de espécies de Phthiraptera puderam ser pela primeira vez sexadas desde a sua primeira fase; através de caráter quetotáxico. Após revisão; todas as espécies estudadas foram redesenhadas e remensuradas para os padrões atuais de estudo do grupo e; com isso; uma nova sinonímia foi encontrada: Gyropus mesoamericanus sin. nov. de G. setifer. Duas novas espécies serão descritas: Gyropus sp. nov. sobre Proechimys trinitatis de Trinidad e Tobago; e Eogyropus sp. nov. sobre Clyomys laticeps do Paraguai; ambos hospedeiros da família Echimyidae. Assim; foram analisadas 34 espécies; sendo 28 espécies de Gyropus; das quais duas novas espécies como grupo interno e 6 táxons como grupos externos (1 Trimenoponidae; 1 Protogyropinae e 4 Gyropinae). A hipótese filogenética baseada em 98 caracteres morfológicos resultou em 4 cladogramas igualmente parcimoniosos (comprimento=271; IC=52; IR=79). A monofilia de Gyropus foi fracamente suportada pela análise. Os resultados também suportam grupos monofiléticos; o que implicou na utilização de alguns nomes genéricos já publicados; como: Eogyropus Eichler (tipo G. lenti); Monogyropus Ewing (tipo G. longus) e Tetragyropus Ewing (tipo G. lineatus). Outros grupos; também bem suportados e sem nomes propostos serão tratados; como gêneros não nomeados; como grupos de espécies de Gyropus s.l. Uma espécie foi combinada em um outro gênero; Monogyropus pearsoni comb. nov. As associações entre espécies de Gyropus s.l. e seus hospedeiros sugerem processos de larga co-acomodação para os grupos ovalis e parvus; estreita co-acomodação para Eogyropus e co-especiação para Monogyropus; Tetragyropus e grupos cruzi; martini; parasetosus e ribeiroi. O grupo thompsoni apresentou associações do tipo larga co-acomodação e co-especiação. Uma chave é apresentada para separação dos gêneros de Gyropidae; bem como para as espécies de Gyropus s.l. tratadas nesta tese.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMG/PARASITOLOGIA
  • Área de Conhecimento: PARASITOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2010
  • Tamanho: 14.13 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: