Sistemas De Condução De Mini Melancia Cultivada Em Ambiente Protegido – Rafael Campagnol

Sistemas De Condução De Mini Melancia Cultivada Em Ambiente Protegido – Rafael Campagnol
Acessar

Resumo:

Dois experimentos foram conduzidos em casa de vegetação com o objetivo de avaliar a influência do espaçamento entre plantas, do sistema de condução e da altura de poda de mini melancia conduzidas na vertical. O híbrido utilizado foi o Smile. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições. O primeiro experimento foi conduzido no período de 12 de agosto a 25 de novembro de 2008, cujos tratamentos foram três alturas de poda da haste principal (1,7, 2,2 e 2,7 m) e dois espaçamentos entre plantas (30 e 45 cm). O segundo experimento foi conduzido no período de 20 de outubro de 2008 a 16 de janeiro de 2009 e os tratamentos foram compostos por três sistemas de condução (S1 = uma haste e um fruto por planta conduzido na haste principal, S2 = uma haste e um fruto por planta conduzido na haste secundária e S3 = duas hastes e um fruto por planta conduzido na haste principal) e dois espaçamentos entre plantas (30 e 60 cm). No primeiro experimento o índice de área foliar, o teor de sólidos solúveis (SS), de ácido ascórbico, a acidez titulável (AT) e a produtividade comercial foram maiores no espaçamento de 30 cm entre plantas. A produtividade total sofreu influência tanto da altura de poda como do espaçamento entre plantas, cujo maior valor foi obtido pela combinação da altura de poda de 2,7m e espaçamento de 30 cm. Por outro lado, foi na altura de poda de 2,2 m e espaçamento de 45 cm que ocorreu o maior valor para a relação SS/AT. A altura de poda de 1,7 m proporcionou maior porcentagem de frutos colhidos na última colheita. No segundo experimento, o sistema de condução S2 no espaçamento de 30 cm entre plantas proporcionou maior índice de área foliar e firmeza da polpa. A produtividade total foi maior no sistema de condução S3 em relação somente ao sistema de condução S1. Os sistemas de condução S1 e S3 promoveram maior porcentagem de frutos colhidos na primeira colheita, enquanto que no sistema S2 a maior parte dos frutos foi colhida na última colheita. Dessa forma, levando-se em consideração as características avaliadas, de modo geral, no primeiro experimento, a melhor opção para o produtor é a realização da poda da haste principal a 2,2 m de altura e espaçamento de 30 cm entre plantas. No segundo experimento, a condução com duas hastes e um fruto (S3) com espaçamento de 30 cm entre plantas, além de constituir um sistema de condução simples, proporciona elevada produtividade e qualidade dos frutos.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: USP/ESALQ/FITOTECNIA
  • Área de Conhecimento: AGRONOMIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 18.59 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: