Sistema Intra-Uterino De Levonorgestrel Comparado A Agonista Do Gnrh No Tratamento Da Endometriose: Efeitos Sobre O Estadiamento Laparoscópico E Alterações Histológicas Do Endométrio Eutópico E Ectóp – Mariana Kefalás Oliveira Gomes

Sistema Intra-Uterino De Levonorgestrel Comparado A Agonista Do Gnrh No Tratamento Da Endometriose: Efeitos Sobre O Estadiamento Laparoscópico E Alterações Histológicas Do Endométrio Eutópico E Ectóp – Mariana Kefalás Oliveira Gomes
Acessar

Resumo:

O objetivo desse estudo prospectivo e controlado foi avaliar a ação do SIU-LNG no endométrio eutópico e ectópico de mulheres com algia pélvica crônica e endometriose; utilizando; como controle; pacientes tratadas com agonista do GnRH (aGnRH). Método: Vinte e duas mulheres entre 18 e 40 anos; com dor pélvica crônica; foram randomizadas para receber tratamento com SIU-LNG (n = 11) ou injeções mensais de aGnRH (n = 11) por 6 meses. Foi realizado “second-look” laparoscópico e o estadiamento da endometriose segundo os critérios da American Society for Reproductive Medicine (ASRM) foi comparado àquele da cirurgia pré-tratamento. Amostras de endométrio eutópico e ectópico obtidas pré- e pós tratamento foram analisadas por imuno-histoquímica. Modificações na expressão do marcador de apoptose Fas; receptor de progesterona tipo A (PRA) e receptor de estrogênio-α (ER-α) foram quantificadas por H-score (um método microscópico quantitativo que avalia o número e a intensidade de células marcadas). Também foi quantificado o número de células marcadas pelo proliferating cell nuclear antigen (PCNA) (em 1000 células contadas); sendo expresso em índice de proliferação celular (IPC). A análise estatística foi realizada pelo teste bicaudal de Mann-Whitney. Resultados: Quatro pacientes (1 no grupo SIU-LNG e 3 no grupo aGnRH) foram excluídas por terem se recusado a realizar a laparoscopia de revisão. Após 6 meses de tratamento; o estadiamento reduziu em 6/10 pacientes (60%) no grupo SIU-LNG e em 3/8 pacientes no grupo aGnRH (p=0;1698). O IPC reduziu após tratamento com SIU-LNG e com aGnRH; no epitélio (EP) e estroma (ST) do endométrio eutópico e ectópico (p<0;05). Apenas as usuárias de SIU-LNG apresentaram aumento do H-score para Fas no EP do endométrio eutópico e do ectópico (p<0;05). No ST; não houve modificação. A expressão de ER-α e PRA pelo EP glandular foi menor no endométrio eutópico após ambos os tratamentos; mas no EP glandular do endométrio ectópico houve redução apenas após o uso de SIU-LNG (p<0;05). No ST; observou-se menor expressão de ER-α no endométrio eutópico e ectópico das usuárias de SIU-LNG e somente no endométrio eutópico das pacientes tratadas com aGnRH (p<0.05). Houve menor expressão de PRA no ST do endométrio eutópico e ectópico apenas nas usuárias de SIU-LNG (p<0;05). Para todos os marcadores avaliados; nenhuma diferença foi encontrada entre os grupos. Conclusões: Ambos os tratamentos apresentaram tendência a reduzir a extensão das lesões endometrióticas em pacientes com algia pélvica crônica. De maneira semelhante ao aGnRH; o SIU-LNG reduziu a proliferação celular; a expressão de PRA e ER-α e aumentou a apoptose no endométrio eutópico e ectópico de pacientes com endometriose. Este mecanismo possivelmente explica a ação do SIU-LNG na redução da algia pélvica.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: USP/RP/GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2007
  • Tamanho: 1.56 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: