Os Agentes Comunitários De Saúde Na Equipe De Saúde Da Família Do Município De Sorriso, Mato Grosso – Neuza Cristina Gomes Da Costa

Os Agentes Comunitários De Saúde Na Equipe De Saúde Da Família Do Município De Sorriso, Mato Grosso – Neuza Cristina Gomes Da Costa
Acessar

Resumo:

Introdução: Este estudo aborda as atividades dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) na equipe de saúde da família de Sorriso; Mato Grosso. O ACS assume o papel de integrador de partes (equipe e comunidade) de modo a garantir atendimento integral às famílias. Diante da importância que o ACS assumiu na equipe; este estudo abordou as características do sistema de saúde e da saúde da família de Sorriso para contextualizar o cenário de atuação dos ACS e analisou suas atividades desenvolvidas nas equipes de saúde da família do município de Sorriso; Mato Grosso – Metodologia: o estudo foi realizado no município de Sorriso MT que em 2007 possuía 88% de sua população coberta por ACS. A pesquisa é uma avaliação participante; utilizando como procedimentos de investigação a observação participante; questionário estruturado auto-aplicável e grupo focal. Para caracterizar o sistema de saúde e a saúde da família; foi utilizado o banco de dados da pesquisa “Os desafios e perspectivas do SUS na atenção a saúde em municípios da área de abrangência da Br 163 no estado de Mato Grosso”. – Resultados: A Saúde da Família é estratégia priorizada em Sorriso para mudança do modelo de atenção à saúde e para organização dos serviços de saúde. O grau de implementação das ações assistenciais das equipes de saúde da família é variável. Os ACS realizam as atividades propostas pelo Ministério da Saúde de forma “satisfatória”. Consideram o acolhimento; o vínculo e o trabalho em equipe como propostas da saúde da família; enfatizando a construção do vínculo como fundamental para realização de suas atividades. No cotidiano de trabalho; há conflitos referentes à sua dupla identidade (membro da comunidade e da equipe de saúde da família) e sofrimento devido ao envolvimento profundo com famílias que atendem. – Conclusão: O estudo demonstra que os ACS realizam as atividades propostas; no entanto há dificuldades e limites que requerem atividades de educação permanente e de monitoramento pelas equipes e gestores.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMT/SAUDE COLETIVA
  • Área de Conhecimento: SAÚDE COLETIVA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.15 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: