O Cinema De Ruy Guerra: Um Imaginário Autoral Na Pós-Modernidade – Eduardo Portanova Barros

O Cinema De Ruy Guerra: Um Imaginário Autoral Na Pós-Modernidade – Eduardo Portanova Barros
Acessar

Resumo:

O sociólogo Michel Maffesoli caracteriza o pós-moderno como uma sensibilidade alternativa aos valores sustentados pela lógica de cunho racionalista. Isso significa dizer que, hoje, já é possível, com mais clareza, observar aspectos como as emoções, os sentimentos e as intuições de um artista – no caso, o dionisíaco (referente a Dionísio, o deus da tragédia) Ruy Guerra – e de seu imaginário (sonhos e desejos). Este é o objetivo da tese: investigar a trajetória como processo autoral de Ruy Guerra pelo viés do imaginário na linhagem de Gaston Bachelard, Gilbert Durand e Michel Maffesoli. Focamos um cineasta cujo perfil nos remete ao espírito dionisíaco da desmedida e do insólito, que atuou tanto no Cinema Novo brasileiro dos anos 1960 – uma fase marcada pela ideologia política – quanto no ambiente da hedonista pós- modernidade. O que interessa, neste painel, é mostrar como se dá o equilíbrio, em Ruy Guerra, entre suas pulsões subjetivas e coerções objetivas (Durand). Não se trata de buscar uma resposta rígida na direção de um conceito, e sim procurar uma constelação de fatores. Conforme Maffesoli, “todo objeto ou fenômeno está ligado a outros, e é determinado por eles. E, por isso mesmo, está sujeito à mudança e ao acaso” (2004, p.10). Interessa-nos, portanto, revisar e questionar a noção de autoria cinematográfica pós-moderna através do imaginário deste cineasta como pessoa inserida na coletividade (o “eu-outro”). A autoria cinematográfica é vista como trilha de uma vivência cultural intransponível do ser humano enquanto manifestação do seu imaginário. Não se trata, aqui, de descobrir o que o cineasta, atrás da câmera, pensa, mas admitir que um filme, em determinadas circunstâncias, pode ser a representação simbólica de uma individualidade sensível e, só por isso, ele já se justificaria. Procuramos refletir sobre uma idéia que, inserida em uma sociedade pós-moderna, antes acolhe do que exclui um cinema instintivamente autoral. Estes filmes, hoje, não teriam, de forma específica, um cenário político ou contestatório como no ambiente da ditadura dos anos 1960. O importante é a expressão do artista dentro de uma lógica contraditorial, cuja relação “eu-outro” fundamenta os aspectos éticos, técnicos e estéticos do fazer cinematográfico.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: PUC/RS/COMUNICAÇÃO SOCIAL
  • Área de Conhecimento: COMUNICAÇÃO
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 2.18 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF:

Recomendamos para você

Abaixo você vai encontrar uma lista de livros que na nossa opinião podem ser interessantes para você.

São itens relacionados a esta oferta que você provavelmente vai gostar. Dá uma olhada! 👌

Termos relacionados

  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um pdf
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um baixar
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um epub
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um comprar
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um online
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um mobi
  • livro O Cinema De Ruy Guerra: Um download