O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. Adams, 1845) E Seu Papel Nas Comunidades De Entremarés Rochoso Na Região De Ressurgência Do Cabo Frio, Rj – María Soledad López

O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. Adams, 1845) E Seu Papel Nas Comunidades De Entremarés Rochoso Na Região De Ressurgência Do Cabo Frio, Rj – María Soledad López
Acessar

Resumo:

Muitos ecossistemas foram invadidos por várias espécies em diferentes períodos de tempo; sendo estabelecidas uma série de novas e complexas interações biológicas nessas comunidades. Na costa sudeste do Brasil têm sido identificadas várias introduções (históricas e recentes); incluindo o bivalve Isognomon bicolor que domina a região de entremarés. O presente estudo visou avaliar alguns dos fatores ambientais (influência da ressurgência; ação das ondas) e biológicos (predação; interações positivas não tróficas) que podem influenciar na inserção das populações do bivalve I. bicolor na estrutura e dinâmica das comunidades de entremarés na região de Cabo Frio. Em 2005 e 2006; foram amostrados oito costões; dois deles localizados no lado externo da baía de Arraial do Cabo apresentando maior influência da ressurgência (+R) e exposição às ondas e seis locais internos eram sujeitos a influência indireta da ressurgência (-R); sendo três moderadamente expostos às ondas e três protegidos. Ao longo do ano de 2005; foram avaliadas semanalmente as características hidrológicas (temperatura; nutrientes; material particulado; clorofila a) da água de superfície próxima aos costões. No mediolitoral inferior (M.I.) e na franja do infralitoral (F.I.) do costão; onde ocorre o bivalve invasor; foi avaliada a porcentagem de cobertura das espécies bentônicas e a densidade e estrutura de tamanhos das populações do bivalve. Em geral; o bivalve invasor foi o organismo séssil mais abundante (cobertura e densidade); no M.I. e nos locais internos à baía. Isto pode dever-se à maior influencia da ressurgência e/ou da ação das ondas nos locais externos; onde estes fatores não puderam ser analisados isoladamente. A comunidade bentônica da F.I. parece estar mais influenciada pelo grau de batimento do que pela ressurgência; havendo maior cobertura do bivalve P. perna em locais expostos (+R) e moderadamente expostos (-R); e de algas em locais protegidos (- R). Apesar do bivalve invasor estar presente nesta faixa em todos os locais internos; a ocorrência de densos bancos de I. bicolor foi observada apenas nos locais com maior cobertura do bivalve no M.I.. Ainda; na F.I.; os resultados indicaram que a presença das frondes da macroalga nativa Sargassum sp. favorecem a sobrevivência dos indivíduos de I. bicolor fixados embaixo destas. Na primavera de 2006 foi registrado um evento inédito de mortalidade em massa; quando a população do invasor diminuiu mais de 80%. A estrutura de tamanho dos bivalves por faixa e por local mostrou uma menor freqüência de recrutas (menor de 4 mm) no verão. Recrutas menores que 2 mm; foram mais freqüentes na F.I. do que no M.I.; no outono e inverno. Houve uma grande variação espaço-temporal da comunidade de larvas meroplanctônicas na água superficial próxima aos costões de estudo. Parece existir uma associação das larvas de mitilídeo e náuplio de cirripédio com água de baixa temperatura e alto teor de nutrientes (época da ressurgência). Larvas de I. bicolor e cipris parecem estar associadas com massas d’água quentes com pouco material em suspensão (época da subsidência). A intensidade de predação; por predadores nativos de diferentes guildas; foi maior no bivalve P. perna (introdução histórica) do que em I. bicolor (introdução mais recente). Em laboratório os gastrópodes predadores mais abundantes no entremarés da região; Stramonita haemastoma e Trachypollia nodulosa; preferiram P. perna e I. bicolor; respectivamente. Todos os resultados obtidos sugeriram a estabilidade das populações do invasor I. bicolor; inserido na dinâmica da comunidade através de distintas interações com as espécies nativas. Entretanto; a inesperada mortalidade em massa registrada neste estudo apontou a existência de fatores ainda não identificados; capazes de regular essas populações. Os resultados deste trabalho junto a estudos futuros que acompanhem o desenvolvimento da comunidade nativa após o evento de mortalidade; podem contribuir para a reconstrução da história de invasão nos costões da região e como subsídio para estabelecer planos de controle das populações de I. bicolor.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRJ/ECOLOGIA
  • Área de Conhecimento: ECOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 8.39 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF:

Recomendamos para você

Abaixo você vai encontrar uma lista de livros que na nossa opinião podem ser interessantes para você.

São itens relacionados a esta oferta que você provavelmente vai gostar. Dá uma olhada! 👌

Termos relacionados

  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. pdf
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. baixar
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. epub
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. comprar
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. online
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. mobi
  • livro O Bivalve Invasor Isognomon Bicolor (C.B. download