Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na Dieta De Poedeiras Comerciais No Final Do Primeiro Ciclo De Produção – Daniella Aparecida Berto

Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na Dieta De Poedeiras Comerciais No Final Do Primeiro Ciclo De Produção – Daniella Aparecida Berto
Acessar

Resumo:

NÍVEIS DE CLINOPTILOLITA E DE CÁLCIO NA DIETA SOBRE O DESEMPENHO E QUALIDADE DOS OVOS DE POEDEIRAS COMERCIAIS RESUMO Com o objetivo de avaliar a influência de concentrações de clinoptilolita e de cálcio na dieta; sobre o desempenho e a qualidade dos ovos; foram utilizadas 576 poedeiras Hisex Brown em um delineamento experimental inteiramente ao acaso; em esquema fatorial 3X4 (três níveis de cálcio – 2;5; 3;1 e 3;7% e quatro níveis de clinoptilolita – 0;0; 0;15; 0;25 e 0;50%); com 12 tratamentos; seis repetições e oito aves por gaiola. O experimento compreendeu quatro ciclos de 28 dias. As rações experimentais foram formuladas à base de milho e farelo de soja. Os resultados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey; a 5% de significância; utilizando-se o programa estatístico SISVAR. Houve interação significativa (p<0;05) entre os fatores estudados; sendo que os tratamentos contendo 0;0; 0;25 e 0;50% de clinoptilolita com 2;5% de cálcio apresentaram as piores conversões alimentares por dúzia de ovos. A utilização de 2;5% de cálcio com 0;25 ou 0;50% da zeólita diminuiu significativamente a postura e piorou as conversões alimentares por dúzia e por massa de ovos. Efeitos significativos (p<0;05) dos níveis de cálcio foram encontrados sobre porcentagem de postura; massa de ovos; conversão alimentar por dúzia e por massa de ovos; porcentagens de albúmen e casca; gravidade específica e resistência da casca à quebra; sendo que o nível mais baixo de cálcio usado nas dietas piorou os índices de desempenho e de qualidade de casca dos ovos citados; e proporcionou maior porcentagem de albúmen. Os níveis de clinoptilolita apresentaram efeitos (p<0;05) sobre as porcentagens de albúmen e gema; sendo que os teores de gema aumentaram com a utilização da zeólita na dieta. Conclui-se que a utilização de clinoptilolita em dietas de poedeiras em final de primeiro ciclo produtivo não influenciou beneficamente o desempenho e a qualidade de casca dos ovos; e que a utilização de 2;5% de cálcio na ração não é recomendada. PALAVRAS-CHAVE desempenho; poedeiras; qualidade de ovos; zeólita NÍVEIS DE CLINOPTILOLITA E CÁLCIO NA DIETA SOBRE O PERFIL SANGUÍNEO; QUALIDADE DAS EXCRETAS E DOS OSSOS DE POEDEIRAS COMERCIAIS RESUMO Com o objetivo de avaliar a influência de níveis de clinoptilolita e cálcio na dieta sobre o perfil plasmático de cálcio e ácido úrico; qualidade das excretas e dos ossos de poedeiras comerciais; foram utilizadas 576 aves Hisex Brown em um delineamento experimental inteiramente ao acaso; em esquema fatorial 3X4 (três níveis de cálcio - 2;5; 3;1 e 3;7% e quatro níveis de clinoptilolita – 0;0; 0;15; 0;25 e 0;50%); com 12 tratamentos; seis repetições e oito aves por gaiola. O experimento teve duração de 112 dias. As aves foram submetidas a idêntico manejo alimentar durante este período. As rações experimentais foram formuladas à base de milho e farelo de soja. Os resultados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey; ao nível de 5% de significância; utilizando-se o programa estatístico SISVAR. Houve interação significativa (p<0;05) entre os fatores estudados sobre ácido úrico plasmático e teor de nitrogênio nas excretas. Efeitos significativos (p<0;05) dos níveis de clinoptilolita foram observados para as porcentagens de cálcio plasmático; sendo que os maiores níveis de cálcio foram observados em aves alimentadas com 0;0 e 0;25% de clinoptilolita. Efeitos significativos dos níveis de cálcio (p<0;05) foram verificados. O aumento do nível de cálcio da dieta propiciou aumento linear das porcentagens de matéria seca e cálcio nas excretas. Conclui-se que uso de clinoptilolita nas rações; de forma geral; não proporcionou efeitos benéficos sobre as concentrações de ácido úrico e cálcio plasmático; não alterou a qualidade óssea das aves e não propiciou melhorias diretas sobre a carga de poluentes nas excretas. A utilização de 3;1% de cálcio nas rações de poedeiras em final de primeiro ciclo de produção é viável; pois não alterou o perfil plasmático de cálcio e a qualidade óssea dessas aves; e ainda diminuiu a carga de cálcio nas excretas; quando comparado ao nível recomendado de 3;7%; contribuindo para um menor impacto ambiental das mesmas. PALAVRAS-CHAVE ácido úrico; aluminosilicato; amônia; poedeiras; qualidade óssea.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/BOT/ZOOTECNIA
  • Área de Conhecimento: ZOOTECNIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.45 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF:

Recomendamos para você

Abaixo você vai encontrar uma lista de livros que na nossa opinião podem ser interessantes para você.

São itens relacionados a esta oferta que você provavelmente vai gostar. Dá uma olhada! 👌

Termos relacionados

  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na pdf
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na baixar
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na epub
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na comprar
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na online
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na mobi
  • livro Níveis De Clinoptilolita E Cálcio Na download