Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com Glândulas Salivares Do Hemiptero Oncopeltus Fasciatus: Identificação Do Ligante Presente Nas Glândulas Salivares E Caracterização Das Enzimas Prot – Felipe De Almeida Dias

Teses e dissertações PDF
Acessar

Resumo:

Algumas espécies de Phytomonas são capazes de causar doenças letais, enquanto outras causam menores danos à planta, pois infectam sítios restritos como os dutos laticíferos e frutos. Em qualquer uma das situações, estes tripanossomatídeos podem causar prejuízos em culturas de grande importância econômica. Sabendo que a invasão das glândulas salivares dos insetos vetores é certamente uma etapa importante dentro do ciclo biológico das espécies de Phytomonas e que o aumento do conhecimento a respeito deste processo pode permitir o desenvolvimento de estratégias para o controle de parasitoses causadas por estes tripanossomatídeos, no presente estudo estabelecemos uma colônia de hemípteros da espécie Oncopeltus fasciatus livre de tripanossomatídeos no intuito de estabelecer a infecção por Phytomonas serpens nestes insetos e, a partir de então, estudar os mecanismos biológicos e moleculares envolvidos na interação deste parasito com as glândulas salivares do inseto. Após a interação ex vivo e in vitro dos parasitos com as glândulas salivares do inseto, por meio de microscopia eletrônica de varredura observamos que P. serpens é capaz de aderir à membrana basal que reveste externamente as glândulas salivares de O. fasciatus, via flagelo ou corpo celular, e atravessar esta barreira via corpo celular. A adesão dos parasitos na glândula parece ocorrer através do reconhecimento de uma proteína de 130 kDa das glândulas salivares, a qual possui seqüência peptídica e antígenos similares à cadeia beta-3 da laminina-5 humana. O tratamento prévio das glândulas salivares com o anticorpo anti-cadeia beta-3 da laminina, assim como o tratamento prévio de P. serpens com a laminina-5 ou com a p130 foi capaz de inibir, de forma dosedependente, a interação deste parasito com as glândulas salivares do inseto, mostrando que a p130 pode ser a molécula-alvo para a ligação de P. serpens nas glândulas salivares de O. fasciatus. Durante a interação com as glândulas salivares de O. fasciatus, P. serpens foi capaz de liberar para o meio de interação uma metalo-protease com massa molecular próxima de 63 kDa, que apresenta semelhanças bioquímicas com a metalo-protease gp63 expressa por diferentes espécies de Leishmania. Da mesma forma, na presença ou na ausência de P. serpens, as glândulas salivares de O. fasciatus liberam para o meio de incubação uma metalo-protease com massa molecular entre 14 e18 kDa, que foi degradada pela cruzipaína-like de P. serpens. A participação destas proteases no processo de interação foi discutida.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRJ/CIÊNCIAS (MICROBIOLOGIA)
  • Área de Conhecimento: MICROBIOLOGIA
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.89 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF:

Recomendamos para você

Abaixo você vai encontrar uma lista de livros que na nossa opinião podem ser interessantes para você.

São itens relacionados a esta oferta que você provavelmente vai gostar. Dá uma olhada! 👌

Termos relacionados

  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com pdf
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com baixar
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com epub
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com comprar
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com online
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com mobi
  • livro Interação Do Tripanosomatídeo Phytomonas Serpens Com download