Eu Iscrevu Em Internetês: O Discurso De Professores De Língua Portuguesa Sobre A Escrita Na/Da Internet – Haudrey Fernanda Bronner Foltran Cordeiro

Eu Iscrevu Em Internetês: O Discurso De Professores De Língua Portuguesa Sobre A Escrita Na/Da Internet – Haudrey Fernanda Bronner Foltran Cordeiro
Acessar

Resumo:

Este estudo apresenta uma investigação sobre quais concepções embasam a teoria e prática dos professores de Língua Portuguesa; tendo como referência a escrita utilizada na internet; também conhecida como internetês. O objetivo desta pesquisa foi investigar qual a concepção de Língua Portuguesa e ensino de língua apresentada pelos professores; da disciplina; perante a escrita na/da Internet. Para fundamentar teoricamente a pesquisa; buscaram-se os estudos de Juana Sancho (1998; 2006); Sírio Possenti (1991; 2002; 2006; 2007); Carlos Alberto Faraco (1991; 1997; 2006; 2007); Marcos Bagno (2006; 2007); Mikhail Bakhtin (1992; 1998; 2002); Luiz Antônio Marcuschi (2005); Antônio Carlos Xavier (2007); dentre outros; e para a análise dos dados obtidos; Laurence Bardin (2008). No intuito de alcançar o objetivo definido; o percurso metodológico da pesquisa se deu a partir de um projeto-piloto e um projeto-exploratório; os quais direcionaram a pesquisa para o estudo de caso. A pesquisa foi iniciada com a realização de um projeto-piloto com 100 participantes; professores e alunos; que responderam a uma única questão por meio virtual (Orkut). Posteriormente; na tentativa de delimitar a pesquisa; aplicou-se um questionário a professores de Língua Portuguesa (selecionados no site de relacionamento Orkut; porém não sendo os mesmos do projeto-piloto); por meio de e-mails; fase esta denominada exploratória. Por fim; optou-se em realizar a pesquisa final presencialmente em uma escola da rede municipal de Curitiba; por proporcionar um contato maior com as professoras respondentes; evitando a permanência de dúvidas durante a coleta dos dados. A escola foi selecionada pelo seu desempenho positivo em avaliações nacionais de Língua Portuguesa. As professoras participantes foram as atuantes no turno da manhã; totalizando sete profissionais. O método de análise de conteúdo de Bardin (2008) foi aplicado na análise e interpretação dos dados obtidos com as entrevistas; gerando sete categorias: comunicação; didática; gramática; abordagem tradicional; prática social; uso/utilização e resistência. Os resultados indicam que as professoras de Língua Portuguesa entendem a escrita da/na internet como uma escrita específica de determinados suportes; no caso computador e celular e que elas têm o papel de orientar seus alunos a buscar a adequação lingüística tanto na forma oral como escrita; porém; apresentam resistência a esta forma de grafia; considerando-a “errada”. As concepções de língua que se evidenciaram em seus discursos ainda estão distantes da compreensão de língua como interação social na qual o processo de produção da comunicação/interação é mais importante que o produto da mesma.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFPR/EDUCAÇÃO
  • Área de Conhecimento: EDUCAÇÃO
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 1.74 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: