Estudo De Cinética De Viremia Do Vírus Dengue Sorotipo 3 Em Formas Clínicas Da Dengue Com Diferentes Níveis De Gravidade – Ana Maria Da Silva

Estudo De Cinética De Viremia Do Vírus Dengue Sorotipo 3 Em Formas Clínicas Da Dengue Com Diferentes Níveis De Gravidade – Ana Maria Da Silva
Acessar

Resumo:

Estudos que relacionam a cinética de viremia; o estado de imunidade do hospedeiro e as formas clínicas da dengue são importantes para uma melhor compreensão da patogênese da doença. A quantificação da magnitude da replicação viral é fundamental no entendimento da progressão da doença para formas clínicas mais graves. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de estudar a cinética de viremia do vírus dengue sorotipo 3 (DENV-3) nos diferentes tipos de infecção e formas clínicas. Dois kits (DSSS-P26 e DSSS-P29); específicos para detecção e determinação da carga viral do DENV-3 por PCR em tempo real; foram testados e validados; sendo escolhido e utilizado o kit DSSS-P29 que apresentou um limite de detecção de 10 cópias de RNA. Foram analisadas 314 amostras de soro seqüenciais de 85 pacientes; além de 209 primeiras amostras coletadas na fase aguda (período febril). Os níveis de viremia foram os mesmos em infecções primárias e secundárias e diferentes formas clínicas; quando analisadas amostras seqüenciais. O tempo mediano de duração da viremia foi de 10 dias. A carga viral máxima foi observada entre o primeiro e o terceiro dia após o início dos sintomas. Foi detectada viremia após a defervescência em todas as formas clínicas. A redução dos níveis de plaquetas foi mais acentuada nas infecções primárias; com valores mais baixos entre o quinto e o sétimo dia de início dos sintomas. Além disso; os valores de transaminase glutâmico oxalacética (TGO) foram mais elevados que os de transaminase glutâmico pirúvica (TGP) em amostras coletadas até oito dias de início dos sintomas; em infecções secundárias e na forma clínica dengue clássica complicada; embora a TGP tenha permanecido alterada por mais tempo. Os níveis de viremia foram mais elevados nas formas mais graves (febre hemorrágica da dengue e dengue clássica complicada) que em dengue clássica (p0;0001); quando analisada a primeira amostra de cada paciente; coletada na fase febril. Os níveis de carga viral e cinética de viremia nas amostras analisadas não possibilitaram predizer a gravidade da dengue – pt

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: NESC/CPqAM/SAÚDE PÚBLICA
  • Área de Conhecimento: SAÚDE PÚBLICA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 2.81 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: