“Either/Or” – Jogo Em Kierkegaard. Kierkegaard Em Jogo – Jacqueline Leão Jácome Ferreira

“Either/Or” – Jogo Em Kierkegaard. Kierkegaard Em Jogo – Jacqueline Leão Jácome Ferreira
Acessar

Resumo:

O jogo de escrita fabricado por Kierkegaard; em ‘Either/Or’; constrói; propositadamente; brechas de interpretação; configurando-se o eu da escritura como autor/jogador astuto que lança mão de artifícios escriturais que se refletem na pseudonímia e na matéria narrada. O conceito de jogo; bem como o próprio ato de jogar; serão; pois; importantes à análise que aqui se intenta. Em ‘Either/Or’; os autores sobrepostos ora se impõem como novos prospectos de leitura e releitura; ora se transformam no elemento lúdico que reverbera em torno de si mesmo enquanto categoria crítica e interpretativa relevante. Sem desconsiderarmos os fatos complexos da interioridade de Kierkegaard como; por exemplo; viver a liberdade subjetiva diante da ética e da pressão religiosa; primeiramente; avaliaremos a incidência lúdica nos seus textos; partindo da visão analítica de jogo; para depois; então; confrontarmos sua autonomia criativa (e de seus pseudônimos) com o jogo de reconstrução de sentido próprio da atividade do leitor. ‘Either/Or’; conforme conceito formulado por Wolfgang Iser; instaura condições de comunicação e suscita o jogo de respostas decorrentes dos efeitos estéticos produzidos na mente do leitor. Se isso pode ser dito; lato sensu; sobre qualquer obra ficcional; no caso da escrita de Kierkegaard essa suspensão se dá como projeto escritural que vai sendo explicitado; simultaneamente; a seu processo de construção; de jogo levado a extremos labirínticos através das sobreposições de eus escriturais. Na análise de ‘Either/Or’; pretendemos; além de contemplar o jogo de autorias forjadas que recortam o texto; tentar apreender a construção do discurso; partindo do princípio que Kierkegaard; ao elaborar os dois prefácios ficcionais; tanto na introdução de ‘Either/Or’ quanto em ‘Diário de um Sedutor’; utiliza-se da memória enquanto estratégia de criação literária. A partir dos dois prefácios citados; procuraremos estabelecer a relação comparativa entre o perfil do narrador e o universo narrado; entre o narrador; simultaneamente; sujeito e objeto da história; entre os acontecimentos passados reconstruídos; no presente; através da escrita

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFMG/ESTUDOS LITERÁRIOS
  • Área de Conhecimento: LETRAS
  • Nível: Doutorado
  • Ano da Tese: 2008
  • Tamanho: 1.25 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: