Ciência Como Montagem, Montagem Como Ciência – Carlos Henrique Lisboa Fontes

Ciência Como Montagem, Montagem Como Ciência – Carlos Henrique Lisboa Fontes
Acessar

Resumo:

A dissertação narra possíveis paralelos entre os saberes do teatro e da ciência. A narrativa é construída a partir de uma reflexão do processo de montagem do espetáculo teatral “O Tempo da Chuva” do Grupo Beira de Teatro; em analogia ao processo de construção de uma teoria científica; descrita por Werner Heisenberg em seu livro “A Parte e o Todo”. Tem como interlocutores autores/atores de várias áreas do conhecimento; como Edgar Morin; Werner Heisenberg; René Descartes; Paul Feyerabend; Paul Caro; Juremir Machado da Silva; Maria da Conceição de Almeida; Renato Ferracini; entre outros. Discute a hipótese de que ciência é montagem e de que uma montagem teatral também pode ser sistematizada; a exemplo da ciência. A dissertação defende; como sugerem as ciências da complexidade; o método como estratégia. Criado no processo; esse método só pode ser verificado ao final; quando os elementos de montagem das teorias da física atômica e do teatro foram interrelacionados. Questionamentos como: o lugar do teatro e da ciência na sociedade sobremoderna e o papel político e ético dos artistas e dos cientistas estão na base epistemológica desta narrativa que aqui começamos; mas que nem de longe está perto de uma conclusão.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UFRN/CIÊNCIAS SOCIAIS
  • Área de Conhecimento: SOCIOLOGIA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2006
  • Tamanho: 3.47 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: