A Correlação Da Expressão Do Gene P53 No Carcinoma Invasor De Colo Uterino Com Fatores Clínicos E Prognóstico – Lucia Teresa Hinojosa Schäffer

A Correlação Da Expressão Do Gene P53 No Carcinoma Invasor De Colo Uterino Com Fatores Clínicos E Prognóstico – Lucia Teresa Hinojosa Schäffer
Acessar

Resumo:

Durante décadas o estudo dos genes supressores de tumor têm alcançado relevância quanto a sua participação nos tumores de modo geral. A etiopatogenia do câncer cervical destaca o papel do p53; gene supressor de tumor; no desenvolvimento da doença. Considerados sítios vulneráveis de lesões críticas do DNA por funcionarem como barreiras fisiológicas contra a expansão clonal ou mutabilidade genômica; são capazes de suspender o crescimento desordenado. Considerado “guardião do genoma”; o p53; previne o acúmulo de erros em células lesadas nos seus DNAS; levando essas células a apoptose. Este gene pode apresentar-se inativado ou mutado fazendo com que; a proteína p53 tenha sua meia vida aumentada acumulando-se nas células tumorais. No presente estudo foram avaliadas retrospectivamente; 120 pacientes com carcinoma epidermóide invasivo de colo uterino; diagnosticadas; tratadas e acompanhadas no serviço de Oncologia ginecológica do HC da Faculdade de Medicina de Botucatu. Através do levantamento dos prontuários; foram estudados fatores clínicos relacionados como: idade; raça; paridade; coitarca; tabagismo; uso de anticoncepcionais orais; classificação de Papanicolau; estadio e expressão da proteína p53. A expressão da p53 foi realizada através da técnica de imunohistoquimica em lâminas arquivadas das pacientes com câncer invasor de colo uterino; a qual mostrou-se positiva. Foram também avaliados os fatores clínicos correlacionados e prognóstico; analisadas as freqüências de algumas variáveis e realizados teste de Fisher para verificar associações entre p53 e as variáveis. Foram considerados estatisticamente significativos os resultados cujos valores de p foram inferiores a 0;05. A análise dos dados encontrados quanto à expressão positiva do p53 nas pacientes com câncer epidermóide em relação a idade; nos mostrou que 89% das pacientes; com idade menor ou igual a 69 anos apresentou positividade na expressão do p53. No grupo de pacientes com idade acima de 70 anos; 5% a apresentaram positiva. A expressão do p53 foi positiva em 71;7% das mulheres brancas. Na análise de mulheres tabagistas e a expressão do p53; observou-se que esta expressão foi positiva em 36;7% das mulheres tabagistas e 52;5% não tabagistas; demonstrando não haver associação estatística significativa entre p53 e o uso do tabaco. Foi observado também não haver e associação significativa entre a expressão positiva do p53 e paridade; a idade da coitarca e o uso de anticoncepcional oral. A superexpressão da proteína p53 em câncer de colo uterino neste estudo foi encontrada numa freqüência de 15 a 50%. Concluímos que a inativação da p53 está associada com o crescimento descontrolado das células e desenvolvimento do câncer. A expressão positiva do p53 está associada com o mau prognóstico das pacientes com câncer invasivo de colo do útero e os aspectos epidemiológicos; o estadiamento; e as formas de tratamento não se evidenciaram como fatores prognósticos quando relacionados com a expressão do p53.

Detalhes:

  • Categoria: Teses e dissertações
  • Instituição: UNESP/BOT/GINECOLOGIA, OBSTETRÍCIA E MASTOLOGIA
  • Área de Conhecimento: MEDICINA
  • Nível: Mestrado
  • Ano da Tese: 2009
  • Tamanho: 4.49 MB
  • Fonte: Portal Domínio Público

Faça download do ebook em PDF: